Ligação genética pode identificar crianças em risco de diabetes tipo 2

As crianças com alto risco de desenvolver diabetes tipo 2 na vida adulta podem ser identificadas mais cedo devido a novas idéias sobre os fatores genéticos por trás do surgimento da doença.

Os fatores biológicos e fisiológicos que levam ao desenvolvimento de diabetes tipo 2 em adultos foram identificados em crianças, de acordo com um estudo da Universidade de Plymouth e Nestlé.

As descobertas vieram de um estudo chamado EarlyBird, que envolveu o rastreamento de 300 jovens saudáveis ​​de Plymouth ao longo de 15 anos para examinar o risco de desenvolver diabetes tipo 2. As crianças foram monitoradas desde os cinco anos até o início da idade adulta, com os pesquisadores investigando como seu metabolismo muda durante o crescimento.

Este estudo está disponibilizado na publicação Diabetes Care, com os resultados de pesquisas mais amplas aparecendo em uma série de revistas científicas revisadas por pares.

De acordo com esse achado, a disfunção das células beta produtoras de insulina foi o primeiro evento a ocorrer, levando a um alto risco de diabetes tipo 2, sendo esse fator independente do peso corporal. A disfunção das células beta foi associada à presença de fatores genéticos previamente associados ao diabetes tipo 2 em adultos, revelaram os pesquisadores.

O professor Jon Pinkney, da universidade, disse: “A prevalência cada vez maior de diabetes tipo 2 é um dos maiores desafios globais da saúde, e há uma necessidade urgente de desenvolver estratégias eficazes para intervenção e prevenção precoces.

“A parceria de pesquisa entre a Universidade de Plymouth e a Nestlé mostrou como os riscos do futuro diabetes tipo 2 podem ser previstos na infância. Isso abre a possibilidade de aconselhamento individualizado e intervenção precoce para reduzir os riscos de futura diabetes tipo 2”.

François-Pierre Martin, líder da colaboração na Nestlé Research, disse: “Neste estudo, mostramos que a disfunção das células beta é um evento precoce no início do pré-diabetes em crianças e que esse efeito é independente do peso corporal. No entanto, também relatamos neste estudo que o ganho de peso subsequente durante a puberdade agrava a progressão do pré-diabetes para o diabetes. Isso enfatiza a importância do estilo de vida e intervenções nutricionais na infância para reduzir os riscos de desenvolver diabetes”.

O especialista em genética da Nestlé Research, Jörg Hager, acrescentou: “As novas descobertas nos permitirão desenvolver novas abordagens nutricionais que visam a resposta da insulina a uma refeição e a capacidade do organismo de regular o nível de açúcar no sangue”.

A capacidade de identificar predisposição para diabetes tipo 2, prédiabetes  e diabetes gestacional é uma habilidade valiosa no que diz respeito aos cuidados de saúde, abrindo um grande potencial de prevenção e pode até ajudar em um atendimento mais personalizado.

No início deste mês, foi relatado como um algoritmo de computador era capaz de prever diabetes gestacional. Pesquisadores do Weizmann Institute of Science, com sede em Israel, criaram o software que pode identificar mulheres com alto risco de desenvolver a doença.


https://www.diabetes.co.uk/


Similar Posts

Topo