Ações da Sanofi sobem após empresa abandonar pesquisas de diabetes cardiovascular

As ações da gigante farmacêutica francesa Sanofi (PA:SASY) subiam nesta terça-feira, depois que a empresa anunciou que deixaria de investir dinheiro no desenvolvimento de novos medicamentos para diabetes e doenças cardiovasculares e também sugeriu que vai vender seu negócio de assistência médica ao consumidor a médio prazo.

A notícia, apresentada em um dia do mercado de capitais para investidores, é o primeiro grande passo estratégico dado pelo novo executivo-chefe Paul Hudson desde que ele ingressou na Novartis em setembro.

Desistir dos tratamentos contra o diabetes é um grande problema para a Sanofi, que dominou o espaço na maior parte das últimas duas décadas até que seu medicamento Lantus perdeu a proteção de patentes no ano passado.

As compensações entre o desenvolvimento interno de medicamentos e as fusões e aquisições são uma preocupação constante das grandes empresas farmacêuticas, e o fracasso da Sanofi em substituir sua vaca leiteira Lantus pesava sobre o preço de suas ações há meses. Antes da notícia, a empresa subiu menos de 10% este ano, enquanto seus rivais suíços, Roche Holding (SEIS:RO) e Novartis (SEIS:NOVN) subiram mais de 20% cada.

“Reconhecemos que está ficando mais difícil obter tecnologias inovadoras e que precisamos ser eficientes e mover nossos recursos para áreas de oportunidade, por mais difícil que seja a escolha”, afirmou Hudson, segundo a Reuters.

As ações da Sanofi subiam até 5,4% nas notícias, chegando perto da alta de dois anos atingida em outubro, antes de recuarem levemente para subir 5,1% às 7h. Elas se destacaram em uma manhã em que todos os cursos da Europa se reduziram com temores de que não haja acordo para evitar a próxima rodada de tarifas de importação dos EUA sobre produtos chineses que entram em vigor no domingo.

A Sanofi já havia dado uma idéia do que estava reservado na segunda-feira, quando anunciou a aquisição do especialista em medicamentos contra o câncer americana, a Synthorx (NASDAQ:THOR) por cerca de US$ 2,5 bilhão. A oncologia será uma das três principais unidades no futuro, juntamente com vacinas e medicamentos em geral.

A empresa deu a entender que pode estar disposta a abrir mão do negócio de assistência médica ao consumidor – que inclui o Tamiflu e o medicamento para disfunção erétil Cialis – para financiar aquisições futuras. A unidade será administrada como um negócio independente no futuro, disse a Sanofi.

Enquanto isso, também planeja fazer 2 bilhões de euros (US$ 2,2 bilhões) em economia de custos de sua cadeia de suprimentos para apoiar os lucros. A Sanofi visa uma margem operacional principal de 30% até 2022, acima dos 25,8% do ano passado.


https://br.investing.com/


Similar Posts

Topo