“Movimento para Sobreviver” exibirá curta sobre diabetes e doenças do coração em cinemas de São Paulo e Rio de Janeiro

Filme contará a trajetória da blogueira Beatriz Libonati, jovem com diabetes tipo 2 há quatro anos. 

Durante o mês de agosto, cinemas de São Paulo e Rio de Janeiro exibirão um curta-metragem para alertar a população sobre a relação entre diabetes e doenças cardiovasculares, visto que ainda é pouco conhecida pela maioria da população brasileira1. A ação faz parte do “Movimento para Sobreviver”, que é uma iniciativa da coalizão formada por seis entidades unidas pelo propósito de proteger o coração e a vida dos brasileiros com diabetes.  

O diabetes é um dos principais fatores de risco para o desenvolvimento de doenças do coração2. Até 80% dos pacientes com diabetes tipo 2 morrem em decorrência de problemas cardiovasculares3Os dados são impactantes e, por isso, informar a população é essencial para mudar esse cenário, estimulando a prevenção completa no tratamento do diabetes e alertando sobre todas medidas existentes que proporcionam mais tempo de vida para esses pacientes.  

Beatriz Libonati, jornalista e blogueira do @convivendocomdiabetes, foi diagnosticada com diabetes tipo 2 aos 24 anos e, na ocasião, achou que fosse uma sentença de morte. “Meu pai tinha diabetes tipo 2 e faleceu em decorrência de um AVC (acidente vascular cerebral), uma das principais complicações da doença4”, explicou Beatriz.  “Cresci acompanhando as adversidades dos pacientes com diabetes, pois além do meu pai, minha mãe também recebeu o mesmo diagnóstico”, complementou.  

Como protagonista do curta, Beatriz afirma que sabia das complicações para visão e rins, mas só ficou sabendo dos riscos cardiovasculares há pouco tempo. “Espero que a minha história estimule as pessoas que têm diabetes ou conhecem alguém que tenha diabetes a se cuidarem, prevenindo as doenças do coração e consequentemente, morte cardiovascular”, diz a jornalista.   

Hoje, Beatriz comemora sua convivência harmoniosa com o diabetes, que foi o responsável pela sua mudança de vida. “Não é uma doença limitante, pelo contrário, se você tem disciplina, ela é sua liberdade. Com cuidado, controle e prevenção, é possível ter uma vida normal”, comenta.  

 
O direito de viver com qualidade de vida é para todos e, por isso, a importância de debatermos meios de melhorar e aumentar a expectativa de vida de pessoas com diabetes e problemas cardiovasculares. Para saber mais acesse o site www.movimentoparasobreviver.com.br 

 Sobre o Movimento Para Sobreviver 

 O Movimento Para Sobreviver é uma iniciativa de seis entidades – a coalizão – criado com o propósito de disseminar informações sobre o impacto das doenças cardiovasculares em pacientes com diabetes tipo 2. Geralmente, as complicações mais conhecidas são a perda de visão, a amputação de membros inferiores e as doenças renais4, porém, a causa de morte número um nessa parcela da população são as doenças cardiovasculares, como o infarto e o AVC (acidente vascular cerebral)4.  

As entidades participantes são ADJ Diabetes Brasil, Associação Nacional de Atenção ao Diabetes (ANAD), Rede Brasil AVC, Sociedade Brasileira de Diabetes (SBD), Boehringer Ingelheim e Eli Lilly do Brasil.  

Referências 

1. Pesquisa Diabetes sem Complicações; 2016. 

2. Organização Pan-Americana de Saúde. Disponível em https://www.paho.org/bra/index.php?option=com_content&view=article&id=5253:doencas-cardiovasculares&Itemid=1096. Acesso em julho de 2019. 

3. Nwaneri C, Cooper H, Bowen-Jones D.Mortality in type 2 diabetes mellitus: magnitude of the evidence from a systematic review and meta-analysis. Br J Diabetes Vasc Dis. 2013;13(4):192-207 

4. International Diabetes Federation. Disponível em https://www.idf.org/aboutdiabetes/complications.html . Acesso em julho de 2019. 



Similar Posts

Deixe uma resposta

Topo