Nova pesquisa oferece esperança de reativar produção de insulina em pessoas com diabetes

Cientistas britânicos acreditam que há potencial para re-desenvolver células em pessoas com diabetes para restaurar a produção de insulina. 

Pesquisadores da Universidade de Exeter, no primeiro estudo do gênero que não envolve animais, descobriram novos insights sobre como a alta glicose no sangue pode alterar o comportamento das células produtoras de insulina. 

Em experimentos de laboratório, os pesquisadores investigaram um sistema de células humanas dentro do laboratório e expuseram as células a um ambiente projetado para replicar o diabetes tipo 2

Pessoas com diabetes tipo 2 podem gradualmente perder a capacidade de produzir insulina ao longo do tempo e isso já foi associado a níveis glicêmicos menos controlados. Pesquisadores assumiram que as células beta produtoras de insulina morrem por causa do microambiente ao redor das células. 

No entanto, uma descoberta no novo estudo indica um novo fenômeno. A equipe de pesquisa descobriu que, na presença de altos níveis de glicose, uma proporção das células beta parou de produzir insulina e começou a produzir um hormônio diferente, a somatostatina. Portanto, algumas das células beta estavam começando a se comportar como um outro tipo de célula chamada de células delta, que são as células que produzem somatostatina. 

Ao analisar o tecido do pâncreas post-mortem retirado de pessoas com diabetes tipo 1 e tipo 2, mais células delta foram encontradas do que a equipe esperava.

Os resultados indicam potencial para novos tratamentos que podem impedir que as células beta percam seu comportamento de produção de insulina. Isso pode ter implicações no tratamento do diabetes tipo 1 e tipo 2. 

“Apenas recentemente, pesquisadores da Exeter descobriram que pessoas com diabetes tipo 1 ainda mantêm algumas células produtoras de insulina, mas o ambiente produzido pelo diabetes pode ser tóxico para essas células que permanecem. 

“Fazer mudanças para proteger essas células, poderia ajudar as pessoas a manterem alguma capacidade de fabricar sua própria insulina. O método que usamos para criar um sistema celular totalmente humano pela primeira vez é significativo – eu não acho que teríamos visto essas mudanças nas células de uma cobaia”.

Carla Owen, diretora executiva da Animal Free Research UK, que financiou a pesquisa, disse: “Esta é a pesquisa pioneira no seu melhor. Estamos orgulhosos de apoiar a próxima fase para levar esta descoberta adiante e mais perto dos tratamentos para pessoas vivendo com diabetes“. 

Os resultados aparecem na revista Human Molecular Genetics.


https://www.diabetes.co.uk/


Similar Posts

Deixe uma resposta

Topo