Salsinha traz inúmeros benefícios para a saúde

Photo by Tomasz Olszewski on Unsplash

Muito usada no preparo de inúmeros pratos da gastronomia brasileira e mundial, a salsinha, além de dar um sabor a mais, é rica em nutrientes. De acordo com a nutricionista e dietista americana Autumn Enloe, em artigo publicado no portal HealthLine, especializado em conteúdos de saúde, duas colheres de sopa (oito gramas) de salsa fornecem apenas duas calorias; 12% da ingestão diária de vitamina A; 16% de vitamina C; 154% de vitamina K.

“A vitamina A é um nutriente essencial que desempenha papel fundamental na imunidade e na saúde ocular. Além disso, é importante para a pele, podendo melhorar condições como a acne. A salsa também é uma ótima fonte de vitamina K, que sustenta a saúde dos ossos e do coração. Ela ainda é rica em vitamina C, um nutriente que melhora a saúde do coração e é vital para o sistema imunológico e age como um poderoso antioxidante, protegendo as células de danos causados pelos radicais livres”, esclarece a especialista no artigo publicado na última quinta, dia 28 de fevereiro.

Como se não bastassem esses nutrientes importantes, a salsinha também contém magnésio, potássio, ácido fólico, ferro e cálcio.

A nutricionista explica que a salsa é uma aliada na prevenção do diabetes, de doenças cardíacas e da síndrome metabólica, já que pode, efetivamente, reduzir os níveis de açúcar no sangue. “Por exemplo, um estudo [de 2016] realizado com ratos que tinham diabetes tipo 1 descobriu que aqueles que receberam extrato de salsa experimentaram reduções mais significativas nos níveis de açúcar no sangue e melhoraram a função pancreática em comparação com um grupo de controle”, afirma Autumn Enloe.

Portanto, aliada a uma dieta balanceada, a salsa, quando é adicionada à comida, pode ajudar a evitar os danos causados pelo excesso de açúcar no sangue.

De acordo com a nutricionista americana, esse tempero popular no Brasil gera ainda os seguintes benefícios:

1. Propriedades antibacterianas

A salsa contém óleos essenciais, incluindo apiol e miristicina, que possuem efeitos antibacterianos e combatem micro-organismos potencialmente nocivos, como o Staphylococcus aureus.

2. Evita a osteaoporose

A salsa é rica em vitamina K, potássio, magnésio e cálcio, que são essenciais para a saúde dos ossos.

3. Aumenta a imunidade

Pesquisas mostram que a apigenina – um poderoso antioxidante presente na salsa – regula a função imunológica, reduzindo as inflamações e evitando o dano celular causado pelos radicais livres.

4. Melhora a saúde do fígado

Estudo em ratos com diabetes descobriu que o extrato de salsa pode prevenir danos no fígado, melhorar a função hepática e aumentar os níveis de antioxidantes.

Armazenamento

Para manter a salsinha fresca por mais tempo, a dica da dietista é remover a parte final do caule e não lavar. “Encha um copo ou jarro com água até a metade e coloque o caule dentro. Se você for manter a planta na geladeira, é melhor cobrir com uma sacola plástica. Caso contrário, a salsa pode ser mantida à temperatura ambiente”, afirma Autumn Enloe.

Ainda segundo a especialista, é preciso trocar a água da salsinha a cada dois dias e descartar a erva quando as folhas começarem a ficar marrons. “Dessa forma, sua planta pode permanecer fresca por até duas semanas. Já a salsa seca pode durar, num recipiente hermeticamente fechado e num ambiente seco e escuro, de seis meses a um ano”, completa a nutricionista.


https://www.revistaencontro.com.br/


Similar Posts

Deixe uma resposta

Topo