Como Israel está transformando o diabetes no mundo

As empresas israelenses estão lidando com questões médicas que estão impactando pessoas em todo o mundo, e o diabetes é uma das áreas-chave que essas empresas estão enfrentando. Abordagens, tratamentos e gerenciamento aprimorados estão ajudando essas empresas a transformar o diabetes em todo o mundo.

Doença crônica do pâncreas, o diabetes ocorre quando uma pessoa não consegue produzir insulina suficiente para regular o açúcar no sangue.

Em todo o mundo, mais de 415 milhões de pessoas sofrem de diabetes.

É uma epidemia e está elevando as taxas de insuficiência renal, amputação, cegueira, doenças cardíacas e até derrames.

A Betalin Therapeutics, uma startup, está liderando o caminho para o avanço do tratamento do diabético. A empresa, ainda relativamente jovem, conseguiu curar o diabetes tipo 1 em camundongos. E enquanto a transição de camundongos para humanos é drasticamente diferente, a empresa espera que eles possam um dia curar humanos com diabetes.

A chave está na abordagem da empresa.

Todos os ratos no estudo estavam em estágios avançados de diabetes quando foram curados, e o tipo 1 é conhecido como uma doença auto-imune. O que essa forma de diabetes faz é destruir as células beta do pâncreas, fazendo com que o pâncreas não possa produzir insulina. Crônica na natureza, esta forma de diabetes requer injeções de insulina ao longo da vida.

O que a empresa optou por fazer é diferente de tudo o que outros já tentaram – eles implantam o pâncreas microscópico nos camundongos. Construídos em laboratório, esses micro-pâncreas inteiros são capazes de controlar os níveis de glicose ao contrário de outras técnicas de transplante, onde as células morrem rapidamente.

Os ratos foram curados por até três meses, e os testes mostraram que com o micro-pâncreas, os ratos morreram.

Criados no laboratório, esses órgãos microscópicos não são grandes o suficiente para sustentar um ser humano completo, mas o uso de múltiplos implantes juntos poderá tornar essa forma de tratamento eficaz também em humanos.

As startups também estão trabalhando em maneiras de lidar com alguns dos problemas que os diabéticos enfrentam, como problemas relacionados aos pés. “Smart Socks” (meias inteligentes) é uma tecnologia hebraica que foi desenvolvida com a ajuda de especialistas em pé para salvar os pés dos diabéticos.

A neuropatia diabética afeta milhões de pessoas em todo o mundo, fazendo com que as pessoas sofram danos nos nervos onde a sensibilidade é perdida. As pernas e os pés são as áreas mais comuns onde esta questão se apresenta, e isso leva muitas pessoas a se ferirem sem perceber.

As meias do SenseGo podem ajudar a resolver este problema, e isso é feito através do que é chamado de “sensor assist” para o pé.

As úlceras do pé são evitadas graças a estas meias, o que permite uma drástica redução dos custos de cuidados de saúde e amputação da diabetes. Dezenas de sensores são embutidos nas meias para ajudar a monitorar problemas relacionados aos pés dos diabéticos. As meias também se conectam aos aplicativos, alertando a pessoa de que eles podem ter riscos de certas condições.

Lavável, estas meias são únicas e têm potencial para ajudar os diabéticos em todo o mundo. É possível deixar os pés mais saudáveis ​​para o paciente, controlando muitos dos problemas que eles já sofrem.

As startups de Israel continuam a combater a epidemia de diabetes, e será interessante ver quais novos desenvolvimentos serão encontrados no próximo ano.

Jacob Maslow

 

https://blogs.timesofisrael.com/


Similar Posts

Topo