Estudo mostra que demência aumenta mortalidade da hipoglicemia

Photo by Alex Boyd on Unsplash

A hipoglicemia severa tem consequências muito mais graves em pessoas que têm diabetes e demência do que naquelas com diabetes apenas, de acordo com uma nova pesquisa.

O estudo, conduzido no Reino Unido, descobriu que após a hipoglicemia, idosos com diabetes e demência tinham 67% mais chances de morrer do que aqueles com diabetes.

“Hipoglicemia é um fator de risco sub-reconhecido para a morte em adultos mais velhos com diabetes e demência”, diz a Dra. Katharina Mattishent , pesquisadora principal do estudo e pesquisadora da Alzheimer’s Clinical Fellow da Norwich Medical School, Universidade de East Anglia, em Norwich Reino Unido

“Estratégias de tratamento destinadas a minimizar a hipoglicemia devem ser priorizadas em pacientes idosos com diabetes e demência que já estão propensos a sofrer de eventos cardiovasculares, quedas e fraturas”, afirma.

Uma meta-análise recente envolvendo quase 1,5 milhões de adultos descobriu que a hipoglicemia está associada a um risco aumentado de morte, eventos cardiovasculares, quedas e fraturas.

No entanto, nenhum dos estudos examinou esses resultados em grupos específicos de pessoas com risco particularmente alto de hipoglicemia, como aqueles com demência e diabetes.

Qual O Desenho Do Estudo?

Para investigar isso ainda mais, Mattishent e colegas analisaram dados de 19.995 pacientes com diabetes tipo 1 ou tipo 2 com 65 anos ou mais, com e sem demência, que foram diagnosticados com o primeiro episódio de hipoglicemia entre abril de 1997 e 31 de março de 2016.

O estudo foi realizado usando o Datalink UK Clinical Practice Research (CPRD), o maior banco de dados de cuidados primários do mundo, e dados sobre internação hospitalar do Hospital Episode Statistics (HES).

Os pesquisadores acompanharam os participantes por até 5 anos após o primeiro episódio hipoglicêmico registrado para examinar se os episódios de hipoglicemia estavam associados à morte por qualquer causa em pacientes com demência e diabetes e se os episódios de hipoglicemia tinham um impacto diferente na mortalidade em diabéticos com e sem demência.

Quais Foram As Descobertas?

Os resultados foram ajustados para fatores influentes, incluindo idade, sexo, dados sociodemográficos, comorbidades e medicamentos. Durante o período do estudo, 11.716 pessoas morreram por qualquer causa.

Após a hipoglicemia, os pacientes com diabetes e demência tiveram um risco 66% maior de morte do que aqueles que não apresentaram hipoglicemia (1369 mortes / 1679 pacientes versus 3853 mortes / 6134 pacientes).

A análise também descobriu que, após hipoglicemia, diabéticos com demência tinham 66% mais chance de morrer do que aqueles sem demência (1369 mortes / 1679 pacientes versus 6494 mortes / 12182 pacientes).

Quais São As Conclusões?

“Dado o aumento contínuo na prevalência de diabetes e demência e o envelhecimento da população, as estratégias para prevenir e reduzir a hipoglicemia em pessoas idosas com demência e diabetes devem ser uma prioridade”, conclui Mattishent.

Ela indica neste grupo vulnerável, os médicos e pacientes devem se afastar da busca incansável de alvos estritos de redução de glicose.

“O foco deve ser direcionado para a detecção rigorosa de hipoglicemia usando dispositivos de monitoramento contínuo de glicose”, ressalta. “Esse monitoramento rigoroso orientará as escolhas de tratamento em relação às drogas que têm um baixo risco de hipoglicemia neste grupo de pacientes”.

Este é um estudo observacional, portanto, nenhuma conclusão firme pode ser tirada sobre causa e efeito e os autores apontam para várias limitações.

Primeiro, os bancos de dados podem não ter capturado todos os eventos de hipoglicemia. Além disso, fatores relacionados ao estilo de vida, como tabagismo, exercício e uso de álcool, podem não ter sido registrados com segurança no banco de dados.

Finalmente, a base de dados do CPRD não especifica a gravidade da demência e, portanto, os autores não foram capazes de avaliar se os riscos são piores com a demência grave.

A pesquisa foi apresentada na Reunião Anual da Associação Européia para o Estudo do Diabetes (EASD) em Berlim, Alemanha, de 1 a 5 de outubro.

Fonte:

 

https://dlife.com/


Similar Posts

Topo