Controle deficiente do diabetes pode levar ao aumento do risco de infecções graves, mostra estudo

Um novo estudo mostrou que os pacientes diabéticos com o controle mais pobre do açúcar no sangue enfrentam os maiores riscos de hospitalização e morte devido a infecções.

O estudo, conduzido por pesquisadores da Universidade de Londres, analisou registros hospitalares de mais de 85.000 adultos ingleses com idade entre 40 e 89 anos com diagnóstico de diabetes e uma medição de hemoglobina glicada, ou açúcar no sangue a longo prazo. que é um marcador de  do diabetes. Os pesquisadores compararam  com controle ruim àqueles com bom controle e a pessoas sem diabetes.

Eles descobriram que, para a maioria dos tipos de infecção, particularmente aqueles causados ​​por bactérias, o risco de ter uma infecção aumenta para aqueles com o pior controle do diabetes.

A professora Julia Critchley, do Population Health Research Institute, da Universidade de St. George, em Londres, disse: “Os  diabéticos com o pior controle tinham quase três vezes mais chances de precisar de tratamento hospitalar para uma infecção do que aqueles com bom controle. Isso foi especialmente elevado para pessoas com diabetes tipo 1 e controle muito ruim, que tinham cerca de 8,5 vezes maior risco de precisar de tal tratamento em comparação com aqueles sem diabetes”.

“Em toda a Inglaterra, descobrimos que o controle deficiente do diabetes foi responsável por cerca de 20-46% de alguns dos tipos mais graves de infecções (sepse, infecções ósseas e articulares, tuberculose e endocardite) observados em pacientes com diabetes”.

Os pesquisadores também descobriram que o controle deficiente do diabetes foi responsável por 15% das infecções por pneumonia e 16% de todas as mortes relacionadas a infecções. Professor Critchley acrescentou: “A pneumonia é muito comum e muitas vezes causa a morte em pessoas mais velhas, e nós demonstramos uma ligação clara com o controle de açúcar no sangue.”

Pessoas com diabetes podem controlar seus níveis de açúcar no sangue melhor através de exercícios, dieta e controle de peso, e tomar medicação quando necessário. Os médicos de clínica geral e outros envolvidos nos seus cuidados também podem ajudar, aumentando cuidadosamente a dose de qualquer medicamento ou adicionando novos medicamentos, conforme necessário.

A grande amostragem do estudo permitiu que os pesquisadores mostrassem que uma infecção rara, porém séria, é que parece ser mais aumentada pela deficiência no controle do diabetes. Também foi mostrado os riscos particularmente altos para pessoas com diabetes tipo 1 e controle ruim. Pacientes com bom  permaneceram em maior risco de contrair uma  comparação com pacientes sem , mas para este grupo o risco é menor.

Referência:

  • Julia A. Critchley et al. Controle glicêmico e risco de infecções entre pessoas com diabetes tipo 1 ou tipo 2 em um grande estudo de coorte da atenção primária, Diabetes Care (2018). DOI: 10.2337 / dc18-0287

 

https://medicalxpress.com/


Similar Posts

Topo