Exercício pode atrasar a progressão do diabetes tipo 1 de diagnóstico recente

Photo by William Stitt on Unsplash

Os resultados de um estudo conduzido pela Universidade de Birmingham sugerem que o exercício durante os primeiros meses de diagnóstico de diabetes tipo 1 pode atrasar a progressão da doença.

Os participantes do estudo que continuaram um regime de  ativos após o diagnóstico tipo 1 prolongaram sua remissão parcial, também conhecida como período de ‘lua de mel’, em cinco vezes em comparação com aqueles que não se exercitaram.

A pesquisa, publicada na revista Diabetic Medicine, sugere que o exercício durante os primeiros meses de diagnóstico pode, à longo prazo, melhorar , reduzir os ataques hipoglicêmicos e o risco de complicações à longo prazo, como retinopatia e neuropatia.

O estudo foi o primeiro de seu tipo a examinar os efeitos do  no período de lua-de-mel em pessoas recentemente diagnosticadas com .

Acredita-se que cerca de 60% dos adultos recém diagnosticados com diabetes tipo 1 passam por um período de “lua de mel”. Isso significa que algumas células beta do pâncreas ainda estão funcionando e seu corpo ainda é sensível à insulina.

Os pesquisadores estudaram 17 pessoas de três clínicas no Reino Unido, todas recentemente diagnosticadas com diabetes tipo 1 e que estavam fazendo exercícios significativos. Eles foram pareados com pessoas que também tinham sido diagnosticadas recentemente e tinham a mesma idade, sexo e peso, mas não faziam nenhum exercício.

Eles descobriram que aqueles que se exercitaram tiveram um período de ‘lua de mel’ que durou em média cinco vezes mais (33 meses) do que aqueles que não se exercitaram (6 meses).

Diabetes tipo 1 é uma condição séria e vitalícia em que o corpo não pode produzir insulina. Sem tratamento cuidadoso, isso pode causar níveis elevados de glicose no sangue e aumentar o risco de complicações que mudam a vida, como perda de visão e doença renal. Atualmente, 4,6 milhões de pessoas no Reino Unido têm diabetes, e cerca de 10% delas têm diabetes tipo 1.

O principal autor do estudo, Dr. Parth Narendran, do Instituto de Imunologia e Imunoterapia da Universidade de Birmingham, disse: “Nossos dados demonstram que o exercício pode desempenhar um papel importante para as pessoas recém diagnosticadas com diabetes tipo 1”.

“Propomos que o exercício prolonga a lua-de-mel através de uma combinação de melhora na forma como o corpo responde à insulina e também preserva a função das células produtoras de insulina no pâncreas.

“Isso pode trazer benefícios importantes para as pessoas com diabetes tipo 1, incluindo melhor controle da glicemia, menos episódios de hipoglicemia e menor risco de complicações relacionadas ao “.

“Há agora uma necessidade de estudos clínicos para investigar se o exercício pode prolongar a duração da lua de mel e explorar os mecanismos subjacentes a isso”.

Mais informações:

  • MR Chetan et al. O período de ‘lua-de-mel’ do diabetes tipo 1 é cinco vezes mais longo em homens que se exercitam: um estudo de caso-controle, Medicina Diabética (2018). DOI: 10.1111 / dme.13802

 

https://medicalxpress.com/


Similar Posts

Topo