Descoberto hormônio que liga diabetes e hipertensão

Pesquisadores médicos da Faculdade de Medicina da Universidade Estadual de Ohio, no Wexner Medical Center, afirmam que o aumento dos níveis do hormônio aldosterona, já associado à hipertensão, pode desempenhar um papel significativo no desenvolvimento do diabetes, particularmente entre certos grupos raciais.

“Esta pesquisa é um passo importante para encontrar novas maneiras de prevenir uma grande doença crônica”, disse o Dr. K. Craig Kent, reitor da Faculdade de Medicina. “Isso mostra como nossos cientistas de diabetes e metabolismo estão focados em criar um mundo sem diabetes”.

Os resultados deste estudo foram publicados online hoje pelo Journal of the American Heart Association.

“A aldosterona é produzida pela glândula adrenal. Sabemos há algum tempo que aumenta a pressão arterial. Recentemente descobrimos que também aumenta a resistência à insulina no músculo e prejudica a secreção de insulina do pâncreas. Ambas as ações aumentam o risco de uma pessoa desenvolver diabetes tipo 2, mas a questão era – quanto “, disse o Dr. Joshua J. Joseph, investigador principal e um endocrinologista em Ohio State Wexner Medical Center.

Joseph e sua equipe acompanharam 1.600 pessoas em diversas populações por 10 anos como parte do Estudo Multi-Étnico da Aterosclerose. Eles descobriram que, em geral, o risco de desenvolver diabetes tipo 2 mais do que dobrou para as pessoas que tinham níveis mais elevados de aldosterona, em comparação com os participantes com níveis mais baixos do hormônio. Em certas etnias, o efeito foi ainda maior. Afro-americanos com altos níveis de aldosterona têm um risco quase três vezes maior. Chineses americanos com alta aldosterona são 10 vezes mais propensos a desenvolver diabetes.

“Eu olhei para isso como uma promessa para o meu pai. Ele tinha altos níveis de aldosterona que contribuíram para sua hipertensão, e ele pensou que também poderia estar ligado à sua diabetes. Como minha carreira progrediu, eu tive a oportunidade de pesquisar isso, e nós encontramos um link para o diabetes”, disse Joseph.

Uma questão que permanece é por que existem grandes diferenças de risco entre os vários grupos étnicos. Joseph disse que poderia ser genética ou diferenças na sensibilidade ao sal ou qualquer outra coisa, e precisa de mais estudos.

Pouco mais de 30 milhões de americanos têm diabetes e quase um quarto deles não sabem que tem a doença, de acordo com os Centros de Controle e Prevenção de Doenças. Outro em cada três americanos tem pré-diabetes. Apesar dos atuais esforços preventivos, os números continuam a subir entre vários grupos raciais / étnicos.

Em seguida, Joseph conduzirá um estudo clínico financiado pelo governo federal no Ohio State Wexner Medical Center para avaliar o papel da aldosterona no metabolismo da glicose. Os participantes afro-americanos que têm pré-diabetes tomarão medicação para reduzir os níveis de aldosterona. Os pesquisadores estudarão o impacto na glicose e insulina no sangue desses indivíduos.

“Sabemos que há uma relação entre a aldosterona e o diabetes tipo 2. Agora precisamos determinar os limiares que guiarão o atendimento clínico e a melhor medicação para o tratamento”, disse Joseph.

Ele espera começar a inscrever pacientes nesse teste ainda este ano.

 

Fonte:

https://wexnermedical.osu.edu/mediaroom/pressreleaselisting/hormone-link-between-diabetes-and-hypertension

 

https://www.news-medical.net/news/


Similar Posts

Topo