Hospitais precisam melhorar os cuidados para mulheres grávidas com diabetes

Novas orientações foram emitidas para médicos hospitalares que tratam mulheres grávidas com diabetes.

As novas diretrizes divulgadas em conjunto pelas Sociedades de Cuidados aos Pacientes Internados com Diabetes (JBDS) foram elaboradas em uma tentativa de melhorar o padrão de cuidados para as pessoas com diabetes em cuidados secundários.

Muitas mulheres com diabetes requerem internações hospitalares durante a gravidez, mas nem todos os médicos e equipes de saúde nas maternidades são especialistas em tratar da melhor maneira o diabetes.

É especialmente importante que as mulheres com diabetes controlem seu diabetes durante a gravidez porque pode afetar o parto e a saúde do bebê. A hipoglicemia neonatal é uma condição que afeta 1 bebê em cada 30 e é mais provável que ocorra porque os níveis de açúcar no sangue não estão rigorosamente controlados durante a gravidez.

Os níveis padrão de açúcar no sangue já foram estabelecidos nas diretrizes do Instituto Nacional de Saúde e Assistência (NICE), mas não há orientações estabelecidos sobre a melhor via de administração de insulina para controlar os níveis de glicose no sangue antes e durante o parto.

O objetivo da orientação do JBDS é apoiar as recomendações do NICE e fornecer um modelo padrão para ajudar pacientes e profissionais de saúde a alcançar seus objetivos com segurança.

Os autores escreveram: “Há um crescente consenso de que alcançar controle rigoroso da glicemia com segurança é desejável em todas as mulheres grávidas com diabetes quando são admitidas nas unidades de maternidade”.

Nesses momentos, muitas vezes há vários profissionais de saúde envolvidos no cuidado da mulher, muitos dos quais têm pouco conhecimento de diabetes. Além disso, esses profissionais de saúde estão muitas vezes cuidando de mulheres que são especialistas em autogerenciar sua própria diabetes; Alguns podem se sentir altamente vulneráveis, deixando seu controle de glicose “nas mãos” de funcionários menos experientes”.

A orientação abrange recomendações para o controle da hiperglicemia e os aspectos práticos de se usar diferentes terapias, sugestão de prescrições e documentos que podem ser facilmente adaptados e usados ​​nas alas, e orientações sobre gerenciamento de glicemia durante o período de internação.

“Espera-se que a sua adoção a nível nacional ajude a harmonizar a gestão da diabetes em ambientes obstétricos e, portanto, permita a realização de auditorias locais, regionais e nacionais”, escreveram os autores.

 

http://www.diabetes.co.uk/


Similar Posts

Deixe uma resposta

Topo