Pesquisadores pedem mudança de paradigma no tratamento da diabetes tipo 2

Existem medicamentos para o diabetes tipo 2 que reduzem os níveis de açúcar no sangue e que também podem reduzir o risco de doença cardíaca ou acidente vascular cerebral, descobriram pesquisadores.

Resultados de quatro estudos diferentes mostraram que o uso de certos medicamentos oferecem controle de glicose e reduz o risco de problemas cardíacos.

A revisão, liderada pelo Dr. Faramarz Ismail-Beigi, do Louis Stokes Cleveland VA Medical Center, analisou os efeitos de medicamentos para diabetes, entre eles Actos (pioglitazona), Jardity (empagliflozin), Victoza (liraglutide) ou semaglutida.

Os resultados dos quatro estudos realizados nos últimos dezoito meses foram revisados. O objetivo dos estudos foi determinar a segurança das drogas, mas em cada estudo os participantes com ou em risco de diabetes tipo 2 experimentaram melhorias cardiovasculares.

“Pela primeira vez, vimos medicamentos para baixar a glicose melhorar os resultados cardiovasculares”, disse Ismail-Beigi.

“É altamente possível que os agentes mais recentes nessas classes de medicamentos, usados ​​isoladamente ou em combinação, se tornem mais eficazes no manejo da diabetes tipo 2 e prevenção de doenças cardiovasculares, mesmo em pacientes em estágios iniciais do processo da doença”.

Pesquisas anteriores que analisaram os tratamentos atuais sempre se concentravam no controle rigoroso da glicemia, diz Ismail-Beigi, e não nos grandes benefícios cardiovasculares para pessoas com diabetes. Isto apesar da doença cardíaca ser uma das principais causas de morte em todo o mundo, e para aqueles com diabetes tipo 2.

A equipe do estudo diz que concentrar-se apenas no controle de glicose no sangue pode deixar as pessoas em maior risco de desenvolver doenças cardíacas. Suas novas descobertas, no entanto, poderiam enfrentar um grande dilema para os profissionais de saúde que buscam reduzir riscos de DCV e um melhor controle de açúcar no sangue.

“Nossa revisão se concentra na necessidade de uma mudança de paradigma sobre como devemos pensar sobre o gerenciamento da diabetes tipo 2. Eu acredito que isso exigirá uma análise dos objetivos e abordagens pelos comitês de diretrizes.

“Com base nessa evidência, propomos que nós devemos mudar do paradigma anterior com seu foco único no controle da glicemia e redução do HbA1c, para um controle da glicose no sangue mais que e que reduza e previna os riscos de morte e doenças cardiovasculares”.

Os resultados do estudo foram publicados no Journal of General Internal Medicine.

 

http://www.diabetes.co.uk/


Similar Posts

Deixe uma resposta

Topo