Os adoçantes artificiais podem prejudicar o seu cérebro?

Às vezes, parece que as pessoas tentam escolher uma dieta saudável e controlar o peso não conseguem fazer uma pausa para pensar.

Vários estudos ligaram o consumo de bebidas açucaradas com doenças cardiovasculares, hipertensão arterial e obesidade. Portanto, é fácil entender o porquê de se tomar refrigerantes dietéticos e outras bebidas artificialmente adoçadas. Se você em vez de beber duas latas de Coca normal por dia, passar a beber refrigerantes zero ou diet, poderá reduzir sua ingestão em cerca de 84400 calorias por mês. Contanto que você não adicione novas fontes de calorias, ao longo do tempo, isso pode representar uma grande perda de peso.

Mas agora, um estudo levantou a possibilidade de que adoçantes artificiais em bebidas dietéticas possam aumentar o risco de demência e acidente vascular cerebral.

As bebidas dietéticas podem ser realmente ruins para o seu cérebro?

Os pesquisadores analisaram dados de saúde de cerca de 3.000 adultos que preencheram um questionário de pesquisas sobre dieta e que tomavam o refrigerante diet e determinaram sua incidência de AVC ou demência nos 10 anos seguintes. As descobertas foram alarmantes.

Em comparação com as pessoas que disseram que não consumiram bebidas dietéticas, aqueles que bebiam pelo menos um por dia sofreram três vezes mais acidentes vasculares cerebrais, e foram três vezes mais propensos a desenvolver demência. O consumo de refrigerantes regulares (sem dieta) não foi relacionado a um maior risco desses problemas cerebrais. E os resultados foram inalterados quando contabilizamos outros fatores importantes como sexo, dieta, tabagismo e atividade física.

Claro, há mais na história

Antes de se desesperar ou desistir de sua bebida diet favorita para sempre, tenha em mente que um estudo desse tipo possui algumas limitações importantes que podem levar a conclusões erradas. Por exemplo:

  • É impossível explicar todos os fatores que possam afetar os resultados. Por exemplo, talvez pessoas com diabetes ou uma história familiar de diabetes escolham refrigerantes sem açúcar com mais freqüência do que as pessoas sem diabetes. Assim, poderia ser a sua diabetes e história familiar, e não o consumo de refrigerantes na dieta, que era responsável por maiores taxas de AVC e demência.
  • Este tipo de estudo não pode estabelecer causa e efeito. Mesmo que haja uma maior taxa de doença cerebral em pessoas que bebem mais refrigerantes diet, não podemos ter certeza de que os refrigerantes diet são a causa.
  • Este estudo não analisou os efeitos gerais sobre a saúde dos refrigerantes dietéticos; É possível que ainda sejam uma escolha mais saudável do que as bebidas açucaradas.
  • Este estudo foi conduzido quando a maioria das bebidas açucaradas artificialmente continham sacarina (Sweet’N Low, Sweet Twin), acesulfame-K (Sunett, Sweet One) ou aspartame (NutraSweet, Equal). Novos edulcorantes, como a sucralose (como em Splenda), provavelmente não estavam incluídos.
  • Embora o risco de acidente vascular cerebral ou demência tenha sido maior entre aqueles que consomem refrigerantes dietéticos, apenas cerca de 3% da população estudada apresentaram AVC e cerca de 5% desenvolveram demência. Assim, enquanto um risco maior foi observado entre os bebedores de bebidas dietéticas, o risco geral naqueles que fizeram ou não bebiam bebidas dietéticas era relativamente baixo.
  • Este estudo apenas analisou os refrigerantes artificialmente adoçados. Não observou o uso de edulcorantes artificiais em alimentos ou bebidas que não fossem refrigerantes.

Para entender o quão preocupado devemos ficar e como os adoçantes artificiais podem causar esse problema de saúde (ou outros), serão necessárias pesquisas adicionais.

Enquanto isso…

Tenho que admitir que esse estudo me fez repensar meus próprios hábitos. Seria melhor se eu começasse a adicionar açúcar ao meu café ao invés da minha rotina atual de adicionar sucralose? Não tenho certeza. E este estudo não me dá orientação.

Mas se você bebe muitos refrigerantes diet, ou zero, este estudo deve fazê-lo pensar – talvez a moderação esteja na ordem. Ou quem sabe beber água pura não seria uma ideia melhor?

 

Robert H. Shmerling, MD , Editor da Faculdade, Harvard Health Publications

 

http://www.health.harvard.edu/


Similar Posts

Topo