Estudo na Alemanha pode evitar morte de crianças com diabetes tipo 1 não diagnosticadas

Diabetes tipo 1 ou diabetes juvenil é muitas vezes diagnosticada medindo-se os níveis de glicose no sangue durante o início agudo da doença, geralmente quando acontece uma ameaça à vida chamada cetoacidose diabética. Isso muitas vezes vem como uma surpresa para os pais, exigindo uma viagem para o hospital seguido por ajustes de estilo de vida imediatos, além de um aumento considerável em suas despesas de saúde. Se houvesse uma maneira de se testar a criança para o diabetes tipo 1 antes do início dos sintomas, ajudaria a evitar as consequências perigosas e daria às famílias tempo para ser educada e preparada. Os cientistas na Alemanha desenvolveram um teste de rastreio fácil e relativamente barato, que pode ser realizado em lactentes, que predizem o desenvolvimento de diabetes do tipo 1.

A maioria dos 29,1 milhões de americanos com diabetes têm a chamada diabetes tipo 2, mas cerca de 1,25 milhões de crianças e adultos tem a diabetes tipo 1. Em 2010, a diabetes foi a sétima principal causa de morte nos EUA. Tanto a incidência de diabetes e de morte causada por ela estão em crescimento.

Cientistas na Alemanha criaram o estudo Fr1da para encontrar marcadores da diabetes tipo 1 na primeira infância. No ano de de 2015, eles testaram quase 27.000 crianças a fim de desenvolver um teste de triagem rápido, eficiente e de baixo custo para a diabetes tipo 1. O teste poderia ser usado em todas as crianças desde cedo para identificar aquelas em risco de desenvolver o início agudo de cetoacidose. A redução do impacto psicológico do diagnóstico através da educação e cuidados poderiam ser usados para avaliar as exposições ambientais para identificar possíveis gatilhos da diabetes tipo 1.

A diabetes Tipo 1 é uma doença auto-imune que resulta na destruição de células beta no pâncreas que produzem insulina. Os testes atuais procuram marcadores que atuam contra os anticorpos de nossas próprias proteínas que são importantes nas células pancreáticas. Os testes de hoje ainda exigem muito sangue, são demasiadamente caros e trabalhosos para ser útil num diagnóstico em massa. Assim, os cientistas alemães desenvolveram um novo teste barato, rápido para identificar os mesmos anticorpos e que necessitam de pequenas quantidades de sangue geralmente tiradas desde crianças. As crianças costumam desenvolver esses anticorpos nos primeiros anos de vida com um pico de incidência entre 1-2 anos de idade, sendo assim a sua existência seria preditivo para a diabetes tipo 1.

Entre os quase 27.000 amostras testadas, 105 foram considerados positivas. Cerca de 80% desses testes iniciais foram confirmados e até agora 4 dessas crianças desenvolveram diabetes tipo 1. Para as crianças e suas famílias foram oferecidos educação e aconselhamento. Entre as crianças com testes positivos, 89% se encontram com um controle normal de glicose no sangue, 9% tinham o controle da glicose prejudicado, o que pode levar a diabetes e 2% já tinham diabetes tipo 1. Só o tempo dirá quais crianças adicionais irão desenvolver a diabetes tipo 1. A parte boa é que estas crianças serão acompanhadas de perto para o futuro aparecimento de diabetes.

Se os resultados do rastreio de 100.000 crianças provar que esta é uma abordagem eficaz e de baixo custo para prever o desenvolvimento da diabetes tipo 1, então isso poderia impedir as crianças de desenvolvimento de níveis perigosamente elevados de glicose que levam às complicações graves. Este exame poderia, então, ser amplamente implementado e tornar-se parte do teste padrão que mantém as crianças saudáveis.

 

Medical Discovery News é administrado pelos professores Norbert Herzog na Universidade de Quinnipiac, e David Niesel da Universidade do Texas Medical Branch. Saiba mais em www.medicaldiscoverynews.com.

 

http://www.huffingtonpost.com/


Similar Posts

Topo