Grupo combate efeitos da diabetes com ginástica e informação

Grupo de Brasília resolveu olhar para a diabetes como um doce desafio, com educação, saúde e atividade física orientada.
Grupo de Brasília resolveu olhar para a diabetes como um doce desafio, com educação, saúde e atividade física orientada.

Um dos remédios mais eficientes para o controle da diabetes e para o aumento da qualidade de vida não é uma pílula, não é a injeção, é atividade física, sem limite de idade. Uma turma resolveu olhar para a diabetes como um doce desafio, com educação, saúde e atividade física orientada.

“O exercício é capaz de melhorar a capacidade do organismo de pegar a glicose do sangue e colocar para dentro do músculo”, diz Jane Dullius, coordenadora do Doce Desafio – UnB.

Há 15 anos, a professora Jane montou um grupo na Universidade de Brasília. Todas as semanas, compartilha um pouco da sua própria história de vida. Sim, porque ela também é diabética.

“Tem 45 anos que eu sou diabética e não tenho nenhuma complicação da diabetes. A que posso atribuir isso? Principalmente informação”, afirma.

As conversas no grupo são o primeiro passo para acabar com o medo. E para quem tem dúvida se tudo isso funciona, basta olhar os resultados. Quando chegam ao local, todos medem a glicose e a pressão.

Depois de uma hora de sorrisos e movimentos, eles repetem as medições. E os resultados mostram queda na pressão e na glicemia.

E, assim, quando todos estão juntos, parece ser bem mais doce.

 

http://g1.globo.com/


Similar Posts

Topo