Número de casos de diabetes na infância aumentam, assim como seus custos, diz estudo

- Fica quietinha aí porque mamãe está pegando esse dinheiro para comprar a sua Lantus e algumas tiras para medir glicose, OK?!
– Mamãe vai pegar um dinheirinho para comprar a sua Lantus e algumas tiras para medir glicose e já volta, OK?!

As taxas de diabetes na infância estão em ascensão, e um relatório divulgado segunda-feira apontou para o impacto que o custo dos seus cuidados tem sobre as famílias – mesmo entre aqueles que têm um seguro de saúde patrocinado pelo empregador.

Estudo realizado pelo Health Care Cost Institute (HCCI), descobriu que os jovens na faixa etária até 18 anos com diabetes e com seguro saúde patrocinado pelo empregador tiveram um gasto de $ 2.173 per capita nos custos dos cuidados de saúde em 2014. Esse valor foi quase cinco vezes maior do que o dispendido às crianças sem a doença.

Os pesquisadores analisaram os dados de reclamações apresentadas ao HCCI entre 2012-2014, através das apólices de seguros  individuais e de grupo, e da Medicare Advantage, e observaram as despesas com cuidados de saúde e as tendências de utilização entre as pessoas com menos de 65 anos que tinham diabetes e planos de cobertura patrocinados pelo empregador.

Em termos de utilização dos serviços médicos, as crianças com diabetes visitaram a sala de emergência 2,5 vezes mais frequentemente do que as crianças sem diabetes. Internações agudas foram cerca de cinco vezes mais frequentes. Ao todo, o custo com os cuidados de um ano foi de US $ 17.380 – o segundo maior custo, atrás apenas dos adultos com idades entre 55 a 64 com diabetes.

Embora mais prescrições e consultas médicas freqüentes ajudem a explicar a diferença entre os custos de saúde gerados por crianças com e sem esta doença, os pesquisadores ainda estavam surpresos com a magnitude da disparidade.

As famílias estão “gastando mais além da conta devido a todos os tipos de serviços”, disse Amanda Frost, pesquisadora sênior do HCCI. “E trata-se apenas de um uso pouco maior. Então, quando você utiliza todos estes serviços de saúde, você acaba sofrendo um impacto muito pessoal em sua carteira, especialmente se você é pai de uma criança com diabetes”.

A partir de 2012, cerca de 208.000 crianças e adolescentes menores de 20 anos viviam com diabetes, a maioria dos quais tinha diabetes tipo I, que é quando o corpo não produz insulina, de acordo com os últimos dados do Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC ). E as taxas estão subindo. Nos últimos 30 anos, o número total de casos para todos os grupos etários quadruplicou. Diabetes tipo 2 na infância, que muitas vezes está associada com a obesidade, também está aumentando, especialmente entre as minorias raciais.

A prescrição de medicamentos representa a maior parte dos custos extra para as crianças com diabetes a cada ano do período de estudo, com um pico em 2014 de US $ 751 por criança, impulsionado por gastos com prescrições de medicamentos de marca. Para todos os outros grupos etários estudados, estes custos diminuíram, pelo menos 3 por cento.

O preço da insulina, o medicamento usado para tratar a diabetes tipo 1, disparou. Um estudo publicado no JAMA de março descobriu que o custo médio da droga foi de $ 12,92 por mililitro em 2013. Como as crianças com diabetes tipo 1 necessitam diariamente de algo em torno de 0,5 a 1,5 mililitros de insulina por quilo de seu peso, Dr. Fran Cogen, diretor da Infância e Adolescência do Programa de Diabetes no Sistema Nacional de Saúde infantil disse, o preço e a carga podem se acumular rapidamente.

Cogen também disse que as famílias que lutam com os encargos financeiros do tratamento da diabetes ainda possuem outros problemas. A saúde mental e o acesso a outros recursos também é uma preocupação na avaliação do bem-estar da criança, adicionando outra camada de custo e complexidade no tratamento de crianças.

“Você não tem que lidar somente com o diabetes, você tem que lidar com as condições sócio-econômicas subjacentes, condições psicológicas e suas necessidades”, disse Cogen.

Entre as outras conclusões dos pesquisadores estão:

  • A despesa per capita para as pessoas seguradas com diabetes aumentou entre 2012 e 2014 de US $ 1.310 para US $ 16.021 em 2014, quase quatro vezes maior do que para as pessoas sem a doença, que foi de US $ 4.396.
  • Os gastos foram mais elevados para os adultos entre as idades de 55 a 64 anos.
  • Os aumentos nos gastos extra para as pessoas com diabetes correspondeu com o aumento global dos custos. No entanto, houve queda nos gastos em medicamentos prescritos – especialmente na faixa etária mais velha. Esse declínio é atribuído ao gasto menor com a prescrição de medicamentos de marca.
  • O custo total dos cuidados de saúde entre aqueles com diabetes tendem a diminuir com a idade. Gastos entre aqueles sem diabetes tenderam à direção oposta.

 

http://khn.org/


Similar Posts

Deixe uma resposta

Topo