Dieta vegetariana saudável reduz substancialmente o risco de diabetes tipo 2

ratatouille
Ratatouille

É de conhecimento de todos que comer frutas e legumes é essencial para manter um corpo saudável.

Está, também, cada vez mais claro nos relatórios de pesquisas, que uma dieta com menos produtos animais também é uma opção mais saudável.

Por exemplo, um estudo publicado em 2013 que acompanhou quase 70.000 pessoas concluiu que uma dieta vegetariana reduz o risco de câncer.

Da mesma forma, um estudo publicado em Nutrição, Metabolismo e Doenças Cardiovasculares no mesmo ano acompanhou mais de 15.000 pessoas e descobriu que uma dieta vegetariana havia diminuído o risco de diabetes.

Como exemplo final, uma meta-análise de mais de 250 estudos, publicados em JAMA Internal Medicine em 2014, demonstrou que uma dieta vegetariana reduz a pressão arterial significativamente.

Vegetarianismo e diabetes

O estudo mais recente nesse sentido, mais uma vez olhou para o efeito de uma dieta vegetariana sobre a diabetes. No entanto, este estudo analisou ainda a qualidade da dieta vegetariana.

Eles levaram em conta se a dieta vegetariana foi alta em alimentos de origem vegetal nutritivos, como grãos integrais, frutas frescas e vegetais, e contrastou com dietas vegetarianas menos saudáveis que incluíam itens como grãos refinados, batatas e bebidas adoçadas.

A equipe, liderada por Ambika Satija, também agrupou informações sobre a quantidade de alimentos de origem animal que os participantes consumiram.

Ao todo, o estudo utilizou dados de mais de 20.000 profissionais de saúde, homens e mulheres, nos Estados Unidos ao longo de um período de 20 anos. Os participantes preencheram questionários regulares que cobriam dieta, histórico médico, diagnósticos atuais e estilo de vida.

Para avaliar a dieta de cada indivíduo, a equipe usou um índice de dieta baseado em vegetais; aos alimentos de origem animal foram dadas notas baixas, ao passo que aos alimentos derivados de plantas receberam pontuações mais altas.

A equipe descobriu que uma dieta pobre em produtos de origem animal, mas rica em produtos vegetais, reduziu o risco de diabetes tipo 2 em 20 por cento .

Quando os pesquisadores dividiram as dietas à base de plantas em versões mais saudáveis e insalubres, eles descobriram que isto impactou fortemente o risco de diabetes tipo 2. Dietas à base de plantas saudáveis produziram um risco 34 por cento menor de diabetes tipo 2, e as dietas à base de plantas menos saudáveis foram ligadas a um risco de 16 por cento maior para a doença.

Isto implica dizer que a abstenção de produtos animais não é suficiente para evitar a diabetes tipo 2. Se abster de itens não saudáveis também não é suficiente; o importante é ter a certeza de que itens alimentares mais saudáveis à base de plantas estarão incluídos na dieta.

A mudança para um padrão alimentar mais elevado em alimentos à base de plantas saudáveis, como legumes, frutas, grãos integrais, legumes, nozes e sementes, e menor nos alimentos de origem animal, especialmente carnes vermelhas e processadas, pode conferir benefícios substanciais para a saúde na redução do risco de diabetes tipo 2″.

Frank Hu, Harvard TH Chan Escola de Saúde Pública, autor sênior do estudo

Pequenas mudanças, grandes benefícios

A equipe descobriu que apenas uma redução relativamente modesta no consumo de produtos de origem animal, de cinco a seis porções para quatro porções por dia, também reduziu a incidência de diabetes tipo 2.

Acredita-se que uma dieta rica em alimentos de origem vegetal reduza o risco de diabetes tipo 2 devido a seus altos níveis de antioxidantes, fibras, micronutrientes – tais como magnésio – e ácidos graxos insaturados. Os níveis mais baixos de gorduras saturadas em alimentos à base de plantas também pode desempenhar um papel.

Além disso, os autores teorizam que a dieta vegetariana tem uma influência positiva sobre o microbioma do intestino, o que também pode ajudar a reduzir o risco da diabetes tipo 2.

Embora o estudo tenha utilizado uma grande amostra de participantes, existiram algumas limitações. O principal problema foi o uso de comportamento alimentar auto-referido. No entanto, porque os dados foram feitos cumulativamente ao longo de vários anos, o potencial de erro é minimizado.

Os pesquisadores concluem que, como demonstrado anteriormente, uma dieta com menores quantidades de produtos de origem animal é mais saudável do que uma com níveis mais elevados. Mas, eles mostraram também que a qualidade da dieta desempenha um papel importante.

 

http://www.medicalnewstoday.com/


Similar Posts

Topo