Para uma melhorar gestão da diabetes, conheça os últimos padrões de atendimento

atendimento-orientacao

Para certificar-se de avanços científicos com os cuidados com a diabetes cheguem até as pessoas com diabetes, a American Diabetes Association criou os padrões de cuidados médicos em Diabetes. Atualizado anualmente, este padrão de atendimento é uma compilação detalhada de recomendações de melhores práticas para moldar cuidados com diabetes para pessoas com ambos os tipos 1 e 2 de diabetes.

Os padrões de atendimento são baseados em evidências, o que significa que eles são guiados pelas últimas pesquisas e avanços nos cuidados. Ao invés de permitir que uma pesquisa potencialmente permaneça engarrafada na literatura médica, a ADA transforma descobertas em itens de ação que podem melhorar a saúde de pessoas com diabetes.

Enquanto os padrões de atendimento sejam destinados principalmente a profissionais de saúde, tornar-se familiarizado com as recomendações mais importantes podem capacitar as pessoas com diabetes e aqueles que estão em risco para a doença, de assumir o controle de sua saúde. Estas recomendações são destinadas a ser integradas em sua gestão de saúde todos os dias. Enquanto os padrões de 2016 mantém muitas das recomendações de boas práticas de 2015, existem alterações notáveis:

  • O controle de peso: perder um pouco de peso pode ser uma mina de ouro de saúde para pessoas com ou em risco para o diabetes que estão com sobrepeso ou obesos. Reconhecer a importância da gestão de peso nas normas do diabetes de 2016,  incluiu um novo capítulo que destaca como perder ou manter o peso pode retardar a progressão da pré-diabetes para diabetes tipo 2, e também pode tornar mais fácil de controlar diabetes tipo 2. A nova seção também descreve como individualizar a perda de peso com um plano de ação. Com base em suas próprias necessidades de saúde, trabalhe com o seu médico, nutricionista ou educador em diabetes para saber como essas recomendações podem ser adaptadas para você.
  • Tecnologia para todos: A nova recomendação foi adicionada para expandir os padrões para as pessoas que usam dispositivos de monitorização contínua da glicose e bombas de insulina. A recomendação afirma que os usuários devem ter acesso contínuo, através das companhias de seguro-saúde, aos dispositivos de cuidados de saúde que trabalham para eles após completarem 65 anos de idade. Atualmente, o Medicare, não rotineiramente, cobre monitores de glicose contínuas. Ele cobre, no entanto, bombas de insulina para pessoas que atendam a determinados critérios.
  • A saúde do coração: a saúde do coração é importante para todos, mas particularmente para aqueles com ou em risco de diabetes, já que é a principal causa de morte para as pessoas com diabetes. Novas recomendações visam diminuir o risco de doenças cardíacas, inclusive afirmando, por exemplo, que os prestadores de cuidados de saúde devem considerar a terapia com aspirina para mulheres com diabetes à partir de 50 anos de idade, em vez de à partir dos 60. Esta recomendação baseia-se nos resultados de um novo estudo confirmando que começar a terapia com aspirina em uma idade mais jovem pode salvar vidas. Converse com sua equipe de saúde sobre as opções de saúde do coração, incluindo nutrição e atividades recomendadas, pois pode ser relevante para você para uma ótima gestão da diabetes.
  • Família importa: A diabetes é uma doença desafiadora, especialmente para crianças e adolescentes, mas não precisa ser esmagadora. Os padrões de 2016 acrescentou recomendações para lidar com a carga psicológica de diabetes durante a juventude. Notavelmente, estas recomendações ressaltam que não importa se o regime médico é para diabetes tipo 1 ou tipo 2, ele só pode ser eficaz se funciona para a família toda por todos os dias. Pergunte ao seu médico sobre essas recomendações e discuta maneiras de aliviar o estresse emocional da gestão da diabetes para qualquer membro da família com diabetes.
  • Atendimento individualizado: Os padrões para 2016 abordam questões difíceis relacionadas com o cuidado do diabetes em populações vulneráveis, incluindo recomendações para aqueles com insegurança alimentar , disfunção cognitiva, doença mental e HIV. Se você estiver gerenciando ou está em risco de diabetes e cair em um desses grupos, o tratamento do diabetes pode ser adaptado para atender às suas necessidades. Por favor, compartilhe suas necessidades com sua equipe médica e educadores em diabetes, para que eles possam ajudar.

Para mais informações e recursos livres do diabetes, visite a página da Associação Americana de Diabetes.

A diabetes é uma doença complexa que pode conduzir a problemas graves de saúde adicionais, tais como cegueira , doença cardíaca, doença renal, dor nos nervos e perda de membros. Manter-se atualizado sobre as mais recentes normas e conversar com sua equipe de saúde sobre como tirar o máximo de suas consultas médicas para melhorar sua saúde, pode reduzir ou retardar o risco de complicações à longo prazo.

 

Margaret (Maggie) Powers, PhD, RD, CDE , é um cientista de pesquisa do International Diabetes Center, Park Nicollet em Minneapolis, onde ela também tem sua prática clínica como nutricionista e educadora. Sua pesquisa se concentra sobre os aspectos nutricionais, educacionais e comportamentais dos cuidados com diabetes para melhorar os resultados da diabetes dentro dos sistemas de saúde. Dr. Powers é Presidente do depto de Saúde e Educação, da Associação Americana de Diabetes. 

 

http://health.usnews.com/


Similar Posts

Deixe uma resposta

Topo