Seria o arroz branco responsável pela epidemia de diabetes na China?

arroz-branco

O arroz atualmente alimenta quase metade da população humana, tornando-se o alimento básico mais importante no mundo, mas uma meta-análise de sete estudos com uma amostra de 350.000 pessoas de até 20 anos descobriu que um maior consumo de arroz branco foi associado a um significativo aumento do risco de diabetes tipo 2, especialmente em populações asiáticas. Estima-se que cada dose diária de arroz branco esteja associada com um aumento de 11 por cento no risco de diabetes. Isso poderia explicar por que a China tem quase as mesmas taxas de diabetes que nós ocidentais.

Taxas de diabetes na China estão em cerca de 10 por cento, nos EUA é de cerca de 11 por cento, apesar da China existir sete vezes menos obesidade. O Japão tem oito vezes menos obesidade do que nós, mas eles podem ter uma maior incidência de casos de diabetes recentemente diagnosticados; nove por mil em relação ao nosso oito. Eles são mais magros e ainda podem ter mais diabetes. Talvez seja por causa de todo o arroz branco que comem.

Comer frutas inteiras está associado com menor risco de diabetes, enquanto que comer frutas transformadas em suco pode aumentar o risco de diabetes. Da mesma forma, comer grãos integrais, como pão de trigo integral ou arroz integral está associado com menor risco de diabetes, enquanto que comer arroz branco e grão processado, pode aumentar o risco de diabetes.

O consumo de arroz branco não parece estar associado ao aumento do risco de ataque cardíaco ou acidente vascular cerebral, no entanto, o que é um alívio após estudo anterior na China sugerir uma ligação com acidente vascular cerebral. Mas deveríamos comer um alimento que seja apenas neutro em relação a algumas das nossas principais causas de morte, quando podemos comer algo associado com menor risco de diabetes, ataque cardíaco, derrame e ganho de peso?

Se a moderna epidemia de diabetes na China e no Japão tem sido associada ao consumo de arroz branco, como podemos conciliar isso com as baixas taxas de diabetes de apenas algumas décadas atrás, quando eles comiam mais arroz? Se você olhar para o Projeto China Cornell Oxford, dietas à base de vegetais centradas em torno de arroz foram associadas com relativo baixo risco para as chamadas doenças da fartura, que inclui diabetes. Será então que os asiáticos não tem o mesmo pico de glicemia quando eles comem arroz branco? Este não é o caso; Por qualquer coisa as pessoas de etnia chinesa obtém os maiores picos de açúcar no sangue .

O aumento nessas doenças do progresso na China ao longo do último meio século tem sido responsabilizado em parte pela triplicação do consumo de alimentos de origem animal. O surto de diabetes tem sido mais dramático, e na maior parte apenas aconteceu durante a última década. Este louco número de 9,7 por cento de prevalência de diabetes rivaliza conosco, sendo que eles pareciam ter uma das mais baixas taxas de diabetes em todo o mundo no ano de 2000.

Então, o que aconteceu com suas dietas nos últimos 20 anos ou mais? O consumo de petróleo subiu 20 por cento, o consumo de carne de porco subiu 40 por cento e consumo de arroz caiu cerca de 30 por cento. Como as taxas de diabetes foram subindo rapidamente, e o consumo de arroz estava diminuindo, então talvez os produtos de origem animal e junk food sejam o problema. Sim, arroz integral é melhor do que o arroz branco, mas para reduzir a epidemia asiática, talvez devêssemos focar na remoção da causa, a dieta ocidental tóxica. Isso seria consistente com os dados que mostram que a proteína animal e consumo de gordura estão associados ao aumento do risco de diabetes.

Mas isso não explica por que os maiores estudos recentes no Japão e na China tenham associado a ingestão de arroz branco com diabetes. Uma possibilidade é que a proteína animal está tornando o arroz pior. Se você alimentar as pessoas com purê de batatas, um alimento de alto índice glicêmico como arroz branco, você verá um aumento no nível de insulina que seu pâncreas terá que bombear para manter seu açúcar no sangue sob controle. Mas e se você adicionar alguns peixes tipo atum? Atum não tem qualquer carboidrato, açúcar, amido ou fécula, por isso não deve fazer diferença. Ou talvez ajude até mesmo a diminuir o pico causado pelo puré de batata, diminuindo a carga glicêmica da refeição inteira. Mas em vez disso você terá o dobro do pico de insulina. Isso também acontece com espaguete de farinha branca em comparação com espaguete de farinha branca com carne. A adição de proteína animal faz com que o pâncreas trabalhe em dobro.

Você pode observar isso com água com açúcar também. Se você fizer um teste de desafio da glicose para testar, se você beber uma certa quantidade de água e açúcar e adicionar um pouco de carne, você obtém um aumento muito maior do nível de insulina do que sem a carne. E se mais carne você adicionar, pior fica. Se você adicionar um pouco de carne aos carboidratos não parece grande coisa, mas quando você consome quase um terço de um peito de frango, isso já pode provocar um significativo aumento da produção de insulina. Isto pode ajudar a explicar porque aqueles que comem mais vegetais possuem taxas mais baixas de diabetes, visto que a proteína animal pode, marcadamente, potencializar a secreção de insulina desencadeada pela ingestão de carboidratos.

 

http://www.care2.com/


Similar Posts

Topo