Como cuidar da minha diabetes poderia ter me matado

duvida-seria

Por volta da meia noite eu entrei em panico. Minutos antes eu havia tomado minha injeção diária de insulina de ação lenta.

E se eu tivesse tomado esta injeção pela segunda vez esta noite?

Como outros com diabetes tipo 1 que não usam uma bomba de insulina, meu método de gerenciamento é chamado de MDI. Múltiplas injeções diárias. Eu tomo uma injeção de insulina de ação rápida antes das refeições e lanches para reduzir o aumento de açúcar no meu sangue produzido a partir do carboidrato destas refeições.

Eu também tomo uma injeção de insulina de ação prolongada uma vez por dia para as funções metabólicas de fundo que necessitam de insulina.

Durante anos eu tomei essa injeção uma vez por dia às 9 da manhã. Mas quando eu mudei a minha insulina de ação lenta da Lantus para a Toujeo recentemente, tomar a Toujeo à noite parecia funcionar melhor para mim. Agora eu a aplico todas as noites às 21:00. No entanto, ainda não possuo este hábito totalmente formado.

Era mais fácil para tomá-la uma vez desta insulina pela manhã. Eu aplicava ao mesmo tempo que aplicava a minha insulina de ação rápida para cobrir o café da manhã. Mas não há nada para me lembrar de tomar esta  injeção às 21:00.

Então, eu escrevi no meu calendário do computador. Está lá na caixa de mensagem todos os dias. Bem, todas as noites. Claro que isso exige que eu esteja sentada na frente do meu computador às 21:00 hrs para ver o alerta do calendário. Felizmente, eu normalmente estou, mas este dia foi outra história.

Ontem à noite, no entanto, entre as 20 e 22 hrs, eu estava assistindo a um filme no meu tablet sentada no sofá. O aviso de alerta do calendário surgiu no meu tablet, mas, vendo o filme e interagindo no Facebook com um amigo, eu provavelmente não observei.

Sim, o horrível vícios das mídias sociais e esta vida multi-tarefa me fizeram esquecer minhas responsabilidades com o diabetes. Mas eu estava tentando fazer uma boa ação. Meu “amigo” havia me perguntado: “Como faço para ajustar a minha insulina de ação lenta para voar para a Alemanha?”

Claro que isso deveria ter me lembrado de tomar minha própria injeção de insulina. E, talvez eu a tivesse tomado. Esse era o problema, agora na meia-noite. Não conseguia me lembrar se eu tinha ou não tomado. Por favor, sem brincadeiras, a vida com diabetes é resistente o suficiente.

Tentando refazer meu caminho antes da chegada de meu próximo sono, eu caminhei até a cozinha onde eu mantinha minha caneta com a insulina de longa ação. Olhei para ela implorando para responder a minha pergunta não formulada: “Será que eu usei você no meu corpo apenas algumas horas atrás”?

Quando eu não estou certa de que possa responder a essa pergunta, lembrar se apliquei ou não a injeção, eu tento lembrar onde no meu apartamento – na cozinha, no banheiro, no sofá? Eu estava quando ocorreu este apagão na memória.

Quando eu fazia uso da Lantus, eu dependia do Timesulin para manter o controle para mim mesma se eu tinha tomado ou não minha injeção. Timesulin é uma tampa de caneta com um contador nele. Eu sempre sabia quanto tempo tinha passado desde a minha última aplicação. Simples, mas fantasticamente eficaz.

Mas Timesulin não fez ainda uma tampa para Toujeo. E enquanto eu tinha o Timesulin em um velha caneta Lantus caneta, espelhando minhas injeções Toujeo, sua bateria tinha acabado há apenas três dias. Eu estava para arrumar uma bateria substituta.

Agora de pé em meio à bifurcação da faço ou não faço, resolvi marcar a minha dose e aplicar. Se esta foi a segunda injeção de longa ação da noite, eu teria o dobro de minha dose de insulina no meu corpo para as próximas 24 horas.

Este mês eu faço 44 anos só de diabetes tipo 1. No entanto, quem tem sabe que cada dia é um novo dia.

A experiência não nos impedem de cometer um erro. Ou estar em risco todos os dias e todas as noites por tomar demasiada insulina. Para você ter uma ideia de como eu estava agora, eu estava a ponto de uma overdose em poucas horas e não acordar no dia seguinte. Confie em mim, isso é um sentimento terrível.

Imediatamente depois que eu apliquei a insulina, eu pesquisei, “Quem tomou uma dupla dosagem de sua insulina basal?” “O ​​que você faz se você tomar duas doses de sua insulina de longa ação por engano?” Eu li o fluxo de comentários e, em seguida, segui a estratégia de muitas bem vindas sugestões. Programar o alarme e acordar a cada duas horas para verificar o seu açúcar no sangue.

Eu li por mais uma hora até 01:00 e programei o meu alarme para 3:00. Estando deitada eu me perguntei quanto tempo levaria para meu marido, que estava viajando à negócios na Holanda, descobrir amanhã que eu não tinha acordado, mas sim morrido.

Em pouco tempo eu estava ouvindo uma música. Foi o meu alarme. Instintivamente eu apalpei o meu corpo para sinais de baixos níveis de açúcar no sangue: Eu estava em convulsão? Meu coração estaria batendo freneticamente? Eu estava suando? Meus pensamentos estariam confusos? Não, não, não, não, um sinal muito bom.

Fui até minha mesa onde havia colocado o meu medidor de glicose pronto para a seleção. Antes de ir dormir meu açúcar no sangue estava em 135 mg / dl (7,5 mmol / l). Voilá, agora um lindo 120 mg / dl (6,6 mmol / l)! Eu não tinha tomado duas doses. Esta pequena queda durante a noite em meu açúcar no sangue é o meu normal.

Na manhã meu açúcar no sangue estava em 105 mg / dL (5,8 mmol / L). Fantástico, não se preocupe. Mas eu me preocupo.

Isso pode acontecer novamente. Pode acontecer a qualquer momento. E eu me pergunto se as chances de eu esquecer se apliquei ou não irão aumentar à medida que eu ir ficando mais velha.

O diabetes tipo 1 não é apenas árdua para cuidar. É uma doença assustadora. Assustadora devido aos erros de cálculo quase inevitáveis ​​que podemos cometer todos os dias.

Eu, como muitas pessoas, já inverti as doses de minha insulina de ação rápida e insulina de ação lenta. Foi exatamente a um ano. Beber um quarto de xícara um suco bastante adocicado com açúcar me impediu de ter uma experiência de quase morte, em seguida.

A insulina é uma droga perigosa, mas temos de contar com ela para viver.

Mas por favor, não se esqueça, aqueles de nós que vivemos com diabetes tipo 1 e, em menor grau as pessoas com diabetes tipo 2 que tomam insulina, estamos tomando decisões diárias para a nossa saúde – que podem tão facilmente arrebatar nossas vidas qualquer dia , ou qualquer noite.

 

Riva Greenberg

 

http://asweetlife.org/


Similar Posts

Topo