Estudo mostra que estresse e depressão estão ligados a um risco maior de derrame em pessoas com diabetes

ataque

As pessoas com diabetes são muito mais propensas à depressão e estresse do que outros indivíduos, e esses problemas de saúde mental em diabéticos estão ligados a um aumento do risco de derrames e mortes por doença cardiovascular, sugere novo estudo americano.

O pior combinação é quando as pessoas com diabetes sofrem tanto de estresse quanto de depressão ao mesmo tempo, concluiu o estudo. Este trio de problemas de saúde estava ligado a mais do que o dobro do risco de morte por doença cardíaca enfrentado por pessoas sem quaisquer destas questões médicas.

“Nosso estudo é um dos primeiros a mostrar um padrão do aumento da probabilidade de resultados adversos cardiovasculares em pessoas com diabetes em comparação com aqueles sem diabetes – primeiro com maior probabilidade que qualquer um (estresse ou depressão) sozinho, e, em seguida, uma probabilidade ainda maior quando ambas co-morbidades comportamentais foram relatadas”, disse por email o principal autor do estudo, Doyle Cummings da East Carolina University Brody School of Medicine.

Para avaliar o impacto desses problemas de saúde mental sobre a doença cardíaca e risco de AVC, Cummings e colegas revisaram dados de cerca de 22.000 adultos, incluindo 4100 com diabetes.

As pessoas no estudo tinham 64 anos de idade, em média, 58 por cento delas eram do sexo feminino, 42 por cento eram negros e 56 por cento viviam na região sudeste dos EUA que é conhecido como “Cinturão do AVC” por sua alta prevalência destes eventos cardiovasculares.

No início do estudo, cerca de 19 por cento dos participantes tinham diabetes, enquanto 10 por cento relataram aumento de sintomas depressivos e 28 por cento relataram estresse elevado.

Entre os indivíduos com diabetes, aqueles que relataram estresse elevado ou depressão – ou ambos – foram mais propensos a serem mulheres, negros, pobres e que viviam na região do “Cinturão do AVC”.

Para as pessoas com diabetes, que tinham tanto estresse ou depressão, o risco de morte por doença cardiovascular aumentou em 53 por cento, em comparação com os diabéticos sem esses problemas de saúde mental. Diabéticos com ambos os problemas, estresse e depressão, tinham mais do que o dobro do risco de morte.

Para aqueles sem diabetes no estudo, houve uma tendência para um maior risco de morte por doença cardiovascular quando eles tinham estresse ou depressão, mas a diferença entre pessoas com e sem estes problemas não era grande o suficiente para descartar a possibilidade de que era devido ao acaso.

O estudo não foi desenhado para provar que o estresse ou depressão causam acidentes vasculares cerebrais ou morte por doença cardiovascular.

Outras limitações do estudo incluem a falta de dados sobre quanto tempo as pessoas tinham diabetes, o que pode influenciar o risco cardiovascular, e o potencial que alguns fatores não medidos no estudo podem ter influenciado as mortes, admitem os autores em Diabetes Care.

Mesmo assim, os resultados apontam para a necessidade de mais médicos passarem a diagnosticar a depressão e estresse em ambientes de cuidados primários, onde a maioria das pessoas com diabetes recebem seus atendimentos, disse Cummings.

“Em nossa cultura, é fácil de ser desviado para todas as outras coisas que comumente se fala quando vamos verificar alguém que tem diabetes, tais como monitoramento de seus açúcares no sangue diariamente e tomar medicamentos, e prestar atenção para coisas como a pressão arterial alta, úlceras do pé, colesterol e problemas nos rins “, disse o Dr. Erik Vanderlip da Universidade de Oklahoma School of Medicine.

“Nós muitas vezes esquecemos de pensar sobre a depressão e estresse contribuindo de forma independente para doenças cardíacas através de mecanismos que nós ainda não temos total conhecimento”, disse por email o Dr. Vanderlip, que não esteve envolvido no estudo. “Então, nós raramente nos direcionamos para eles, ou os diagnosticamos, apesar de haver tratamentos que podem mudar isto ao longo do tempo.”

 

FONTE: bit.ly/1RtVR2P Diabetes Care, online em 17 de novembro, 2015.

 

http://www.reuters.com/


Similar Posts

Topo