Estudo revela que crianças com diabetes tipo 1 têm cinco vezes maior risco de internação

hospital-infantil

Um pesquisa recém publicada concluiu que crianças com diabetes tipo 1 têm um risco cinco vezes maior de internação hospitalar em comparação com crianças sem a doença.

O estudo, conduzido por pesquisadores da Universidade de Cardiff e da Universidade de Bristol, analisou 1577 crianças galesas com idade entre 0 -15 anos entre 1999 e 2009. Outros 7.800 participantes-controle que combinavam em idade, sexo e nível socioeconômico também foram avaliados.

As crianças com diabetes tipo 1 foram comparadas com os participantes do grupo de controle em relação a quantas vezes elas foram admitidas no hospital, não incluindo as internações ocorridas dentro dos primeiros 30 dias de seus diagnósticos de diabetes.

A criança com o tipo 1 tinha um Índice de Incidência de 4,9 (IRR) de uma admissão hospitalar, com o autor do estudo Dr. John Gregory, MD, Universidade de Cardiff, dizendo que estes resultados indicaram “uma taxa de admissão muito elevada para aqueles com diabetes tipo 1”.

“As crianças mais jovens com o tipo 1 da diabetes e com idade inferior a cinco anos tinham o risco mais elevado de internação hospitalar, enquanto que aqueles com tipo 1 em grupos de menor status socioeconômicos também apresentaram um maior risco de hospitalização.

Além disso, os pacientes que receberam atendimento ambulatorial em grandes centros, tiveram uma redução nas internações hospitalares em comparação com aqueles tratados em pequenos centros.

Não havia nenhuma evidência de uma taxa de admissão diferenciada entre meninos e meninas e, pelo fato do País de Gales ter uma população predominantemente branca, não foi possível fazer uma análise para examinar os resultados por grupo racial, disse Gregory, discutindo estas conclusões na reunião Cuidados Profissionais de Diabetes em Londres.

“Não há nenhum sinal de que isto esteja melhorando; nós precisamos pensar sobre o potencial de intervenções para reduzir esta diferença [entre aqueles com e sem diabetes tipo 1]”.

Gregory acrescentou que a gestão da diabetes tipo 1 em crianças é “exigente devido a um regime de tratamento complexo”, e é” surpreendente que complicações de gestão deficiente, como hipoglicemia e cetoacidose, ainda ocorram, levando a hospitalização.

“A equipe de pesquisa espera que estes resultados levem a um aumento da atenção médica dispensada a estes pacientes para promover uma redução nas taxas de internação, e para o desenvolvimento de programas de prevenção que ajudem a estes pacientes mais vulneráveis ​​contra a  cetoacidose diabética (CAD).

CAD é uma perigosa complicação de curto prazo que ocorre quando o nível de açúcar no sangue se encontra demasiadamente elevado. Pode ser fatal se não for tratado com urgência. Cerca de uma em cada quatro pessoas com diabetes tipo 1 está sofrendo de CAD no momento do seu diagnóstico.

Os resultados foram publicados no BMJ Open.

 

http://www.diabetes.co.uk/


Similar Posts

Topo