Pesquisa de novo tratamento para diabetes tipo 1 mostra resultados promissores

No futuro as pessoas com diabetes não pode precisar de injectar-se em uma base diária
Num breve futuro as pessoas com diabetes não precisarão mais injetar-se diariamente com insulina

O fim das injeções diárias para quem sofre de diabetes pode estar à vista depois que cientistas mostraram que é possível restaurar a produção de insulina por até um ano ao impulsionar o sistema imunológico.

Centenas de milhares de pessoas na Grã-Bretanha sofrem de diabetes tipo 1 e precisam injetar-se diariamente com insulina para manter os níveis de açúcar no sangue sob controle.

A doença ataca as células produtoras de insulina no pâncreas. As pessoas saudáveis ​​possuem milhões e milhões de células responsáveis pela “manutenção da paz” chamadas “T-regs” (células T reguladoras) que protegem as células produtoras de insulina do sistema imunológico, mas as pessoas que sofrem de diabetes tipo 1 não as possuem o suficiente.

Agora, os pesquisadores na Universidade da Califórnia e Yale demonstraram que as “T-regs” pode ser removidas do corpo, sendo reproduzidas em mais de 1.500 vezes no laboratório e infundidas de volta para a corrente sanguínea com a finalidade de restaurar sua função normal.

Uma pesquisa inicial com 14 pessoas mostrou que a terapia é segura, e pode durar até um ano.

“Este poderia ser um divisor de águas”, disse o Dr. Jeffrey Bluestone, Professor em Metabolismo e Endocrinologia na Universidade da Califórnia, San Francisco (UCSF).

“O uso de T-regs para”re-educar”o sistema imunológico, pode ser capaz de realmente mudar o curso da doença.

“Esperamos que as T-regs venham a ser uma parte importante da terapia do diabetes no futuro”.

Não só o tratamento irá parar a necessidade de injeções de insulina regulares, mas evitará que a doença progrida, o que poderia poupar muitos de uma cegueira e amputação mais tarde na vida.

A diabetes é uma doença auto-imune. O sistema imunológico normalmente protege contra infecções, mas na diabetes tipo 1 o processo dá errado e assim, além de lutar contra invasores estrangeiros, ele também ataca as células do próprio corpo.

No novo procedimento, os médicos removeram cerca de dois copos de sangue contendo em torno de dois a quatro milhões de células T-regs de 14 pacientes com idades entre 18 e 43 que tinham sido recentemente diagnosticados com diabetes. Sua células ‘T-reg”foram separadas de outras células e replicadas num meio de crescimento, antes de serem infundidas de volta para a corrente sanguínea.

A psicóloga infantil Mary Rooney, de 39 anos, que foi diagnosticado com diabetes tipo em 2011, foi o primeiro participante no estudo, e disse que a terapia “a libertou da rotina diária de injeções”.

Falando de seu diagnóstico, ela disse: “Depois de semanas de perda de peso, sempre com muita sede, ficando com a visão embaçada e sensação geral de cansaço, eu sabia que algo não estava certo. O diabetes tipo 1 jamais passou na minha cabeça, no entanto.

“Inicialmente, eu fiquei em um estado de choque. Eu não percebi que alguém poderia ser diagnosticado com diabetes tipo 1 como adulto”.

“Meu primeiro pensamento foi ‘Isso é uma merda’ e depois ‘Isto não pode estar acontecendo’, mas eu sabia que não podia simplesmente ficar em um estado de negação e decepção para sempre”.

Mary Rooney, que trabalhou como pesquisadora da Universidade da Califórnia logo soube que a instituição estava à procura de pacientes para a pesquisa sobre as T-regs, e pediu para ser inscrita.

“Por ser o primeiro paciente, eu sabia que eu estava tendo uma chance. E eu tenho que ser honesta: eu estava com medo”, acrescentou.

“Mas eu gostei do fato de que este tratamento experimental envolveu o uso de minhas próprias células T reguladoras, que seriam reproduzidas em um laboratório e em seguida, re-infundidas. A teoria por trás deste estudo realmente fez sentido para mim”.

“Esta intervenção com as T-regs liberta as pessoas, como eu, da rotina diária da terapêutica com insulina e do medo de complicações ao longo da vida”.

A equipe de pesquisadores disse que os tratamentos t-Regs também é uma promessa para o tratamentos de outras doenças auto-imunes tais como artrite reumatoide e lúpus, e ainda como terapia para doenças cardiovasculares, doenças neurológicas e obesidade.

A pesquisa foi publicada na revista Science Translational Medicine.

 

http://www.telegraph.co.uk/

PS do editor TiaBeth:

A presente pesquisa está relacionada com matéria publicada há poucos dias cujo link segue abaixo:

http://www.tiabeth.com/index.php/2015/11/18/sean-parker-o-bilionario-que-quer-eliminar-o-diabetes/


Similar Posts

Topo