9 surpreendentes complicações do diabetes tipo 2

A velha conhecida metformina também pode ajudar as pessoas a ter uma vida mais longa e saudável.

É bem sabido que o diabetes tipo 2 pode aumentar o risco de doença cardíaca, doença renal, danos nos nervos e amputações. Mas as complicações associadas com um deficiente controle do açúcar no sangue pode afetar outras partes do corpo, também. “Quando falamos de complicações do diabetes, nós falamos sobre complicações da cabeça aos pés”, diz Cathy Reeder-McIntosh, RN, uma educadora de diabetes certificada em Wake Forest Baptist Medical Center, em Durham, Carolina do Norte. “Mesmo se você não tem perfeitamente controlado seu açúcar no sangue, diminuindo o seu nível de A1C – que mede o nível médio de açúcar no sangue ao longo dos últimos dois a três meses – mesmo numa pequena quantidade, já ajuda a reduzir o risco de complicações”.

No entanto, algumas pessoas não vão fazer mudanças até verem os sintomas causados por anos de açúcar elevado no sangue, de acordo com Reeder-McIntosh. Para evitar que isso aconteça, você deve estar ciente destas nove complicações do diabetes menos conhecidas e como evitá-las.

1 – Declínio cognitivo

“Certamente há uma grande quantidade de evidências de que açúcar elevado no sangue afeta a memória e a atenção cronicamente ao longo do tempo”, diz Katherine Lewis, MD, MSCR, professora assistente na divisão de endocrinologia, diabetes e genética médica na Universidade de Medicina da Carolina do Sul, em Charleston. Os exames de imagem do cérebro de pessoas com diabetes mostraram que o diabetes está correlacionado com alterações cerebrais, de acordo com pesquisa publicada em julho de 2014, no Jornal da Doença de Alzheimer. Embora os médicos não entendam completamente o relacionamento, Dra. Lewis disse que o controle de açúcar no sangue pode ajudar a reduzir o risco para a memória e cognição alterada.

2 – Depressão

Pessoas com diabetes têm um risco acrescido para a depressão quando comparadas com os seus pares, de acordo com uma revisão de dados de 16 estudos, publicados em fevereiro de 2015 no Jornal de Saúde Mental Comunitária. Os sintomas da depressão incluem tristeza, desesperança, desespero, irritabilidade, mudanças nos padrões de sono, e uma perda de interesse em pessoas e atividades apreciados anteriormente, de acordo com o Instituto Nacional de Saúde Mental. A depressão pode ser tratada, por isso avise seu médico se você tem esses sintomas.

3 – Perda auditiva

perda-auditivaPerda auditiva parece ser cerca de duas vezes mais comum em pessoas com diabetes em comparação com aqueles que não têm a doença, de acordo com a American Diabetes Association (ADA). Sinais de perda auditiva incluem dificuldade em ouvir o que as pessoas estão dizendo a você, a necessidade de aumentar a televisão e rádio, sentir que as pessoas ao seu redor estão sempre resmungando, e esforçar-se para se manter em conversas quando a sala está lotada ou barulhenta. Reeder-McIntosh sugere consultar-se com um fonoaudiólogo para verificar a sua audição se você tiver quaisquer preocupações.

4 – Doença periodontal

As pessoas com diabetes podem estar em risco para a doença periodontal. “Vemos que a doença periodontal em diabetes está relacionada com açúcar elevado no sangue”, diz Lewis. A ADA recomenda que as pessoas com diabetes prestem atenção para esses sinais de alerta da doença periodontal como sangramento, dor ou inchaço da gengiva, bem como alterações mais graves na boca, como afrouxamento dos dentes. Para ajudar a prevenir a doença periodontal, escove e passe fio dental nos dentes regularmente e visite o seu dentista a cada seis meses.

5 – Infecções de pele

“Se o açúcar no sangue está elevado, qualquer risco de infecção sobe”, diz Reeder-McIntosh. A ADA diz que você pode ver mais infecções de pele, incluindo furúnculos, folículos pilosos infectados, infecções nas unhas e infecções mais profundas da pele chamadas carbúnculos. Os sintomas incluem áreas dolorosas, vermelhas em sua pele. Além de controlar o açúcar no sangue, uma sequência recomendada de rotina e cuidados diários da pele feita pela ADA pode ajudar a prevenir a infecção. Isso inclui manter a pele limpa e seca, manter feridas e cortes limpos e cobertos, e hidratar a pele.

6 – Infecções fúngicas

fungosDiabetes pode aumentar o risco para infecções fúngicas, também. “Os organismos gostam de crescer em um ambiente agradável, acolhedor, açucarado,” Reeder-McIntosh explica. Isto inclui infecções fúngicas, como infecções fúngicas vaginal, coceiras, ptiríase, e pé de atleta, de acordo com a ADA.  Os sintomas incluem coceira, áreas vermelhas cercado por escamas brancas, e até mesmo dores e um cheiro de fungos. Para tratar essas infecções, consulte um médico. Você pode ajudar a evitá-las, mantendo sua pele limpa e seca.

7 – Perda óssea

As pessoas diagnosticadas com diabetes são 20 por cento mais propensas a experimentar uma fratura de quadril do que seus pares, de acordo com pesquisa publicada em fevereiro de 2015, em Osteoporosis International. Lewis diz que isso pode ser devido a níveis de açúcar no sangue enfraquecerem a matriz óssea. Baixa densidade óssea acontece silenciosamente, então sua melhor aposta para a prevenção é o controle de açúcar no sangue, fazer exame para verificar a densidade óssea e aprender a reduzir o risco de quedas.

8 – Gastroparesia

gastroparesiaPossuir o açúcar elevado no sangue pode afetar os nervos de seus pés e pernas, e também pode afetar seus nervos autônomos. Estes são os nervos que controlam funções corporais involuntárias, tais como freqüência cardíaca, pressão arterial, transpiração, a função da bexiga, e digestão. Os sintomas que você enfrenta dependem de qual parte do seu sistema nervoso autônomo é afetado. Um sintoma potencial de neuropatia autonômica é gastroparesia, um distúrbio no qual o estômago leva muito tempo para esvaziar o seu conteúdo. “As pessoas muitas vezes não percebem que sintomas como náuseas, distensão abdominal, refluxo, e uma sensação de saciedade precoce quando comem podem estar relacionados a danos nos nervos causados pelo diabetes”, diz Reeder-McIntosh. A melhor maneira de ajudar a evitar esta complicação é através da monitorização e gestão do açúcar no sangue. Fazer alterações em seus hábitos alimentares, como comer refeições menores mais freqüentemente, também pode ajudar você a gerenciar a gastroparesia.

9 – Disfunção erétil

Disfunção erétil (DE) é um outro resultado possível de danos aos nervos autônomos. Quando os pesquisadores compararam informações de saúde entre 220 ​​homens italianos com diabetes tipo 2, eles descobriram que pouco mais de metade – 52,9 por cento – tinham ED. Eles também descobriram que as taxas de ED aumentavam à medida que os números de A1C subiam, de acordo com pesquisa publicada na edição de maio de 2015 em Diabetes Investigação e Práticas Clínicas. Lewis diz que ED é caracterizada por uma incapacidade de ter uma ereção, pode ser tratada, mas você pode ajudar a impedir isso se fizer um bom controle do açúcar no sangue.

http://naija247news.com/


Similar Posts

Topo