Jovem de 38 kg que comia 5 mil calorias por dia é tratada como bulímica até descobrir que tinha diabetes

Kate Miller

Fazia anos que a estudante Kate Miller mantinha sem problemas sua dieta de 5.000 calorias, incluindo no cardápio sem culpa pizzas, doces e outros tantos tipo de guloseimas que geralmente engordam só de olhar. Mas, mesmo assim, de repente seu peso despencou para 38 kg, e foi quando os médicos começaram a suspeitar que ela pudesse ter algum tipo de distúrbio alimentar, como anorexia ou bulimia.

Kate, de 22 anos, se jogou nos chocolates para tentar ganhar peso, mas nem assim conseguiu modificar seu corpo. Ela vivia com sede e bebia cerca de seis litros de água todos os dias, além de viver indo ao banheiro com vontade de fazer xixi. Nestes momentos, seus familiares podiam jurar que Kate se trancava para poder vomitar e se livrar da comida que tinha consumido minutos antes.

Depois de cinco anos nesta situação, ao fazer exames de sangue, Kate descobriu que seu nível de açúcar estava oito vezes acima do normal. O diagnóstico estava fechado: Kate não sofria de bulimia, nem de anorexia, nem de qualquer outro problema de alimentação. Kate era, na verdade, diabética.

Os médicos descobriram que o pâncreas de Kate havia parado de funcionar. Depois de entender qual era seu problema, a estudante pode, enfim, desabafar.

— Eu ficava muito chateada com a possibilidade de as pessoas acharem que eu tinha um distúrbio como bulimia. Eu comia todo o tipo de comidas, e podia comer até 5 mil calorias por dia, enquanto as mulheres normais comem no máximo 2 mil. Eu sempre fui consciente da minha saúde e do meu peso, gostava de me cuidar, então achei isso estranho.

— Eu estava muito magra, de verdade. Além disso, acordava de madrugada para tomar duas garrafas de água, todas as noites. As pessoas, então, me aconselhavam que eu tinha que me olhar direito, como se dissessem que eu tinha que parar de fazer o que eu fazia, vomitando minha comida. Perguntavam por que eu comia tanto, e depois ia ao banheiro. Fiquei frustrada porque achavam que eu era bulímica. Minha mãe chegou a ameaçar me tirar da faculdade se eu não parasse de fazer o que estava fazendo, sendo que eu não estava fazendo nada de errado.

Kate estava perdendo peso porque, sem insulina, produzida pelo pâncreas, e que se transformar em energia, seu corpo começou a falhar, e a consumir sua própria gordura e músculos.

— Agora aprendi a me injetar a insulina, e posso viver uma vida normal, sem problemas nem julgamentos.

http://noticias.r7.com/


Similar Posts

Topo