Um rígido controle do diabetes tipo 2 está ligado a menos ataques cardíacos e derrames, diz estudo

Woman makes testing high blood sugar.

Diabetes danifica todas as partes do corpo, do cérebro para os pés. Açúcar elevado no sangue, a marca do diabetes, causa estragos sobre os vasos sanguíneos. Faz sentido em manter o açúcar no sangue sob controle para evitar danos relacionados ao diabetes – mas baixar o nível de açúcar no sangue ainda é uma questão em aberto.

Um estudo publicado na edição de hoje do The New England Journal of Medicine (NEJM) fornece evidência tranquilizadora de que o chamado controle rígido do açúcar no sangue é bom para o coração e sistema circulatório.

“O controle rígido de açúcar no sangue representa uma nova era nos cuidados da diabetes”, diz o Dr. David Nathan, professor de medicina na Harvard Medical School e diretor do Centro de Pesquisa Clínica Geral e do Centro de Diabetes no Massachusetts General Hospital.

Os perigos do açúcar elevado no sangue

A diabetes tipo 2 é marcada por elevados níveis de açúcar no sangue. Com o tempo, o açúcar no sangue provoca danos nos pequenos vasos sanguíneos em todo o corpo. Isso é chamado de doença microvascular. O dano pode levar à insuficiência renal, dor no nervo, amputação e cegueira. Mas a principal causa de complicações e morte em pessoas com diabetes é a doença cardiovascular, que envolve os vasos sanguíneos maiores do corpo. (Isso também é chamado de doença macrovascular.)

Cerca de dois terços das pessoas com diabetes morrem de doença cardíaca, acidente vascular cerebral ou outros problemas cardiovasculares. Uma boa forma de medir o nível do açúcar no sangue é o teste de hemoglobina A1c (HbA1c). Ele revela o nível médio de açúcar no sangue de uma pessoa ao longo dos três meses anteriores.

Pessoas sem diabetes têm um nível de HbA1c de até 5,7%; um nível de HbA1c de 6,5% ou superior indica usualmente diabetes. Para algumas pessoas com diabetes tipo 2, uma dieta saudável e exercício físico regular podem manter o açúcar no sangue sob controle, mas muitos precisam de medicação também.

Pessoas com diabetes geralmente são incentivadas a realizar um controle rígido de açúcar no sangue, o que se traduz em um nível de HbA1c inferior a 7%. A pesquisa mostrou que o controle rígido de açúcar no sangue pode reduzir o risco de complicações microvasculares. Mas o efeito deste tipo de controle de açúcar no sangue em doenças cardiovasculares tem sido mais sombrio.

Agora, o novo relatório publicado no NEJM sugere que o controle rígido de açúcar no sangue também tem benefícios cardiovasculares.

Os benefícios de um controle rígido

O relatório foi baseado num estudo de diabetes acompanhado por 10 anos realizado pelo Veterans Affairs (VA). Este estudo incluiu 1.791 veteranos militares com diabetes tipo 2 que estavam em média com 60 anos de idade. Estes veteranos foram aleatoriamente designados para a terapia “intensiva” destinada a trazer para baixo o nível de açúcar no sangue a um alvo HbA1c inferior, ou terapia “padrão” com um alvo HbA1c superior.

Em cada grupo, o nível de açúcar no sangue alvo foi obtido com uma combinação de medicamentos orais para diabetes e injeções de insulina, quando necessário. Durante o estudo de cinco anos e meio, o grupo de terapia intensiva tinha o nível médio de HbA1c perto de 6,9%. O grupo padrão da terapia apresentava um nível médio de HbA1c perto de 8,4%.

Mais de 1.600 dos participantes do estudo foram acompanhados por mais cinco anos. Durante este tempo, os pesquisadores compararam o número de participantes que tiveram um evento cardiovascular, tais como ataque cardíaco ou acidente vascular cerebral, entre aqueles de terapia intensiva e os do grupo de terapia padrão.

Os resultados foram animadores, tanto para os médicos que têm defendido um rígido controle de açúcar no sangue, quanto para as pessoas com diabetes que trabalharam duro para alcançá-lo. O risco de ataque cardíaco e AVC no grupo de controle rígido foi 17% menor do que entre aqueles cujos níveis de açúcar no sangue ficaram um pouco maior. Isso se traduz em cerca de menos 9 ataques cardíacos e derrames por cada 1.000 pessoas.

Memória metabólica

O estudo teve outro resultado positivo. Ele reforçou o que o Dr. Nathan chama de “memória metabólica”. Como ele explica, “um breve período de intervenção parece ter efeitos duradouros ao longo do tempo”. A parte ativa do estudo do VA durou cerca de cinco anos e meio. Depois disso, cuidados médicos dos veteranos já não eram supervisionados pela equipe de pesquisa.

Nos três anos seguintes, o nível médio de HbA1c no grupo de terapia intensiva tinha aumentado um pouco, reduzindo a diferença de níveis entre os grupos intensivo e padrão de 1,5% para algo entre 0,2% e 0,3%. E, no entanto, o grupo de terapia intensiva continuou a colher benefícios cardiovasculares anos mais tarde.

Os efeitos do tratamento intensivo não duram para sempre, adverte Dr. Nathan. Em algum momento, ele diz, “a memória metabólica torna-se amnésia metabólica”. Porém quanto mais tempo você mantem o açúcar no sangue sob um rígido controle, mais tempo os benefícios irão durar.

Ato de equilíbrio

Embora o controle rígido de açúcar no sangue possa ajudar a evitar danos relacionados com a diabetes, tem alguns inconvenientes. Pessoas com o objetivo de um controle assim pode experimentar episódios de baixa de açúcar no sangue (hipoglicemia), o que pode ser muito perigoso.

Rígido controle também pode ser difícil de conseguir, por vezes necessitando de vários medicamentos que podem ter efeitos secundários nocivos.

Pesquisas anteriores haviam sugerido que pessoas com diabetes de longa duração e doença cardíaca estabelecida não podem se beneficiar de um controle apertado de açúcar no sangue, tanto quanto aqueles com diabetes recém-diagnosticados.

Mas este novo relatório do NEJM mostra que nunca é tarde demais para controlar o açúcar no sangue. Os veteranos matriculados neste estudo tinham diabetes mal controlados durante vários anos antes do início do estudo. E 40% tinha doença cardiovascular quando foi incluído no estudo. Assim, não só o tratamento intensivo reduziu o risco de doença cardiovascular, mas o fez em pessoas idosas com diabetes de longa data, muitos dos quais já tiveram problemas cardíacos.

Bom controle de açúcar no sangue é importante para todos com diabetes. As diretrizes atuais da American Diabetes Association recomendam um nível de HbA1c inferior a 7%. Mas as diretrizes também reconhecem que não há uma regra única para se alcançar este objetivo. Se você tem diabetes, pergunte ao seu médico se um controle rígido de açúcar no sangue é certo para você.

 

http://www.health.harvard.edu/


Similar Posts

Topo