Meias inteligentes equipadas com sensores podem ajudar a salvar pés de diabéticos

Meias inteligentes equipadas com sensores podem ajudar a salvar pés de pessoas com diabetes.

Pesquisadores na Alemanha desenvolveram um par meias com alta tecnologia concebidas para avisar a quem sofre de diabetes sobre possíveis lesões nos pés.

Diabetes pode causar problemas nervos e má circulação nos pés, resultando na perda de sensibilidade, o que pode levar a complicações.

Enquanto uma pessoa saudável pode reconhecer as alterações de pressão e trocar o seu peso de um pé para o outro, algumas pessoas que sofrem de diabetes não podem. Isto significa que lesões muitas vezes passam despercebidas, tornando-se abcessos, feridas abertas ou tecido danificado e levando – em casos extremos – à amputação.

Para combater o problema, pesquisadores do Instituto Fraunhofer desenvolveram meias com sensores embutidos que podem monitorar a pressão em cada pé e enviar um aviso para o usuário se a pressão for muito alta.

Cada meia inclui 40 pequenos sensores feitos de película de silicone elastômero que são distribuídos por toda parte, funcionando como substitutos nervosos para medir a carga de compressão.

Quando a pressão é aplicada aos sensores, a película de silicone torna-se mais fina e ocorrem aumentos de área de superfície, uma alteração que pode ser medida.

meiasSe alguém está em pé no mesmo lugar por muito tempo e a pressão aumenta, os sensores vão reconhecer isso e enviar um sinal para uma unidade eletrônica sem fio, que recolhe os dados antes de enviá-lo para um smartphone ou tablet. O usuário então recebe um aviso de que é hora de trocar os pés.

As meias são feitas de uma mistura de algodão e tecido sintético, que o cientista do Instituto Fraunhofer, Dr. Bernhard Brunner, diz ser projetado para ser confortável. “Isso é importante, uma vez que o usuário terá de usá-los diariamente”, disse ele.

O conceito de utilização de uma meia elástica é uma nova abordagem; os sistemas existentes são inserções que medem a distribuição de pressão na parte inferior do pé explica o Dr. Brunner.

“Os sensores estão ligados na sola da meia, no calcanhar, na parte superior do pé e do tornozelo, para que eles possam fazer leituras em três dimensões”.

As meias estão atualmente em fase de protótipo. Trabalho adicional irá criar um invólucro destacável para a eletrônica, pois assim as meias poderão ser lavadas, embora o Dr. Brunner diga que limpeza com desinfectante não é um problema.

No lançamento, cada par deve custar em torno de £ 180 (€ 250). (R$ 750)

Para além de ajudar quem sofre de diabetes, a tecnologia poderia ser usada em aplicações desportivas, por exemplo, para ajudar os praticantes a analisar o estilo e posição do pé em execução.

https://home.bt.com/


Similar Posts

Topo