Pessoas com diabetes tipo 2 se beneficiam ao comer duas grandes refeições por dia, diz estudo

prato-comida

As pessoas com diabetes tipo 2 podem ter menos depressão e menos fome se optarem por um grande café da manhã e almoço, em vez de seis pequenas refeições ao longo do dia, sugere um novo estudo.

“Comer cafés da manhã fartos e grandes almoços pode ser mais benéfico do que o costumeiro modelo de pequenas refeições”, disse a Dra. Hana Kahleova, principal autor do estudo feito pelo Instituto de Medicina Clínica e Experimental, em Praga. “No entanto, ainda em maior escala, estudos de longo prazo são necessários antes de oferecer recomendações claras”, disse ela à Reuters Health em um e-mail.

A análise utilizou dados de um estudo anterior que comparou duas dietas de restrição calórica em 54 pessoas com diabetes tipo 2. Cada participante do estudo passou 12 semanas comendo seis pequenas refeições por dia, e então outras 12 semanas comendo um grande café da manhã e almoço, sem jantar.

Com ambas as dietas, as pessoas relataram menos sintomas depressivos e melhor qualidade de vida em comparação com o que sentiam no início do estudo, mas as melhorias no humor foram significativamente maiores quando comeram refeições maiores, duas vezes por dia.

A desinibição, que é a tendência a comer em excesso em certas situações, melhorou com a dieta de duas refeições. As pessoas também relataram sentir menos fome quando comiam apenas duas vezes por dia, relataram os pesquisadores no European Journal of Clinical Nutrition.

As pessoas que comem com menos freqüência podem se sentir mais completas e mais satisfeitas quando elas comem, ao invés de sentir fome durante todo o dia comendo pequenas refeições, disse Kahleova, que acrescentou que as pessoas precisam comer de 30 a 40 gramas de fibra por dia.

“Comer um café da manhã como um rei, almoçar como um príncipe e jantar como um mendigo”, disse ela. “Se você sentir fome à noite, pode experimentar uma salada de legumes”.

“Eu acho que esta pesquisa é fascinante”, disse Margaret Powers do International Diabetes Center de Park Nicollet em Minneapolis (EUA) em entrevista por telefone.

Ao olhar para o efeito de padrões alimentares nos sintomas depressivos dos doentes, a nova pesquisa está começando a ter em conta o “grande componente emocional de comer”, disse Powers, que não estava envolvido com o novo estudo, ela que é a presidente eleita para os Cuidados de Saúde e Educação da Associação Americana de Diabetes .

A coisa mais importante para as pessoas com diabetes tipo 2 é ter um plano em termos de quando eles comem e como eles dividem a sua ingestão de carboidratos ao longo do dia, disse Powers, acrescentando que o objetivo é manter os níveis estáveis de açúcar no sangue e um peso saudável.

“Não há uma maneira certa ou errada, mas acho que isso diz que nós temos que prestar atenção a este lado emocional de comer”, disse ela.

“Se alguém está comendo duas grandes refeições por dia e ainda querem comer em outros momentos e eles não podem e que está tornando-os miseráveis, este não é o plano certo”.

Powers disse que quer ver seus pacientes comerem em equilíbrio saudável uma variedade de alimentos.

“Um dos objetivos da terapia nutricional para diabetes é, na verdade, manter o prazer da comida”, disse ela.

“Nosso objetivo é ajudar o paciente a entender que ele ou ela própria, pode ajudar a encontrar o melhor plano de auto-gestão. Seja qual for o plano alimentar, ele deve se manter o padrão ao longo da vida”.

 

FONTE: http: // bit. ly / 1IGEPHN

  • European Journal of Clinical Nutrition, 01 de abril de 2015.

 

http://www.huffingtonpost.com/


Similar Posts

Topo