Educação em diabetes é inadequada, revela levantamento no Reino Unido

Foto de marijana1.

Um grande número de Grupos Clínicos de Comissionamento (CCGs) na Inglaterra não estão financiando a educação em diabetes para os profissionais de saúde.

De acordo com uma nova pesquisa realizada pela organização britânica Diabetes UK, cerca de 60% dos CCGs falham a este respeito. A entidade está preocupada porque o treinamento não está em vigor para médicos, enfermeiros e outros profissionais, especialmente considerando-se que para 2025 uma projeção diz que 5 milhões de pessoas no Reino Unido terá diabetes.

Além disso, quase metade dos CCGs não aloca tempo para os profissionais de saúde, para médicos realizarem análise da retina ou atividades relacionadas com a educação em diabetes, formação ou desenvolvimento. Dos 56% que o fazem, apenas um quarto permite aos nutricionistas e pediatras tirarem um tempo para a educação em diabetes. A entidade diz que essas especialidades proporcionam um apoio essencial para as pessoas com diabetes e ajudam a reduzir complicações, como a amputação.

Estas estatísticas são apoiados por uma pesquisa com 143 usuários de ‘Diabetes na Saúde”, um programa de aprendizado pela internet desenvolvido pela Diabetes UK e Bupa destinado a profissionais de saúde que não são especialistas em diabetes.

Metade dos entrevistados havia recebido nenhum treinamento prévio de diabetes, no entanto, após a conclusão do curso Diabetes UK e Bupa, 80% disseram que seu conhecimento e compreensão da condição tinha aumentado. Fundamentalmente, o mesmo percentual se sentiu mais confiante no apoio à pessoas com diabetes.

Em resposta às conclusões do inquérito do CCG, a Diabetes UK está criando para um quadro de competências nacional a ser implementado. Isso proporcionaria uma orientação clara para Sistema Nacional de Saúde, orientado à prática em hospitais de grande porte, para ajudar a identificar quais os funcionários devem receber treinamento em diabetes e como e quando o treinamento deve ser fornecido.

Atualmente, a cada cinco anos, os médicos licenciados que praticam a medicina no Reino Unido devem demonstrar que estão aptos para a prática e se seus conhecimentos e habilidades estão em dia. Este processo de revalidação será em breve uma exigência trienal para a prática de enfermeiros. Profissionais de saúde individuais também são responsáveis ​​pela sua própria educação genérica em andamento conhecida como contínuo Desenvolvimento Profissional.

No entanto, para especialistas não-diabetes, tais como aqueles que trabalham em cuidados de saúde primários, o pessoal de enfermaria geral ou pessoal de enfermagem em lares residenciais, o sistema atual não fornece treinamento ou avalia as competências na área específica de diabetes.

Simon O’Neill, diretor de Inteligência de Saúde e Profissionais de Ligação da Diabetes UK, disse: “Nós temos preocupações significativas de que os cuidados estejam sendo oferecidos para as pessoas com diabetes por funcionários que não podem ter um nível adequado de conhecimento sobre esta condição complexa”.

A diabetes já custa ao Sistema Nacional de Saúde uma incrível quantidade de dinheiro – cerca de £ 10 bilhões ao ano – mas o dinheiro deve ser investido de forma mais sensata, começando com a garantia de que o pessoal de saúde que for tratar as pessoas com diabetes obtenham o treinamento e as habilidades certas.

Enquanto nós apreciamos que alguns CCGs estejam definindo exemplos de boas práticas no domínio da formação em diabetes, o processo de revalidação atual não vai longe o suficiente para identificar ou melhorar essas habilidades. É por isso que nós queremos ver um quadro nacional de competência em diabetes. Isso não só poderia significar melhores resultados para as pessoas que vivem com esta condição, mas poderia poupar dinheiro no longo prazo, uma vez que irá ajudar o pessoal a compreender a necessidade de intervenção precoce e como prevenir complicações causadas pelo diabetes”.

http://www.onmedica.com/


Similar Posts

Topo