Perspectiva positiva e apoio social ajuda a lidar com a diabetes

Jacob, de apenas 5 anos, passou a usar uma bomba de insulina. Para que o garoto não se sentisse excluído, os pais tatuaram o desenho do produto na barriga. Clique e conheça a história.

Perspectiva positiva e apoio de pessoas ao redor ajudam pacientes com diabetes a lidar com os desafios psicossociais da doença, de acordo com um estudo internacional que inclui pesquisadores da Penn State College of Medicine. Uma melhor compreensão dos desafios emocionais, psicológicos e sociais de pessoas com diabetes poderia melhorar os resultados de saúde.

O segundo estudo, Diabetes Atitudes, Desejos e Necessidades (Dawn2) é a maior pesquisa realizada com pessoas que vivem com diabetes. O estudo DAWN original, em 2001, concluiu que 41 por cento dos adultos com diabetes têm bem-estar psicossocial pobre.

No estudo de seguimento, quase a metade – 46 por cento – de pessoas com diabetes tiveram experiências emocionais, psicológicas e sociais negativas relacionadas com a sua doença. Dois grandes temas negativos surgiram. Pessoas com diabetes relataram sentir ansiedade, medo, preocupação, depressão e desesperança sobre a sua condição, e eles sofreram discriminação no trabalho e incompreensão do público. Um em cada cinco participantes do estudo relataram discriminação no trabalho, incluindo perda de emprego devido à sua doença.

Os pesquisadores aplicaram questionários on-line e presenciais e usaram o telefone para pesquisar 8.596 pessoas com diabetes vivendo em 17 países, incluindo os Estados Unidos e Canadá. Pacientes com diabetes do tipo 1 e com diabetes tipo 2 foram incluídos. Os resultados aparecem na edição mais recente do Diabetes Care .

Como parte do estudo de acompanhamento, os pesquisadores perguntaram às pessoas com diabetes sobre seus sucessos com a condição, bem como seus desafios. Mais uma vez, emergiram dois temas. Resiliência pessoal através de uma visão positiva sobre a doença, bem como o apoio da família, amigos e profissionais de saúde, ajudaram às pessoas a lidar com os desafios psicossociais do diabetes.

“Descobrimos que, embora existam essas experiências negativas com diabetes, as pessoas também relataram alguns aspectos positivos”, disse Heather Stuckey, professor assistente de medicina e pesquisador qualitativo para o Dawn2. “Alguns disseram que a diabetes fez de suas vidas um pouco mais ricas, porque passaram a comer alimentos mais saudáveis, ou então porque foram capazes de se conectar mais com sua família para superar os desafios. Deu-lhes uma melhor noção do que eles têm”.

Uma recente atualização para uma pesquisa do National Health and Nutrition Examination constatou que uma grande porcentagem de pessoas com diabetes têm níveis de glicose mal controlados. Os pesquisadores acreditam que o diabetes não controlado não pode ser explicado pela falta de conhecimento por si só da doença, por isso os estudos DAWN consideram outros fatores psicossociais que contribuem para isso.

“Nós acreditamos que o que está sob a superfície – o que as pessoas estão pensando e sentindo, e como elas estão reagindo ao diabetes – é o que está impulsionando esta pobre auto-gestão da diabetes”, disse Stuckey.

Várias mensagens para as pessoas com diabetes e aqueles que cuidam deles surgiram à partir do estudo.

Algumas pessoas com diabetes estão relutantes em compartilhar seus desafios e necessidades, porque elas não querem ser vistas como um fardo para os membros da família. Isso cria um ciclo vicioso, porque os membros da família nem sempre sabem como ajudar, para que a pessoa com diabetes possa se sentir menos isolada e desconectada.

“Nós gostaríamos de encorajar os pacientes a serem capazes de compartilhar seus pensamentos e experiências sobre ter diabetes com os familiares e outras pessoas de confiança”, disse Stuckey. “Acreditamos que isto vai aliviar um pouco do estresse que as pessoas experimentam e vai melhorar a convivência com o diabetes”.

Apesar de lidar com o diabetes às vezes parecer ser uma luta, uma perspectiva positiva realmente ajuda. Muitos dos participantes do estudo relataram uma fresta de esperança de seu diagnóstico, tais como perda de peso ou uma melhor compreensão das doenças dos outros. Olhar o lado positivo os mantiveram motivados para atravessar tempos difíceis.

“Ao olharmos os aspectos positivos dentro da negatividade, observamos onde esse sentimento de resiliência está vindo”, disse Stuckey.

Pode ocorrer das pessoas com diabetes começarem a compartilhar as experiências, e os membros da família não saberem como ajudar.

“Nosso conselho é perguntar-lhes sem rodeios:” Há algo que eu possa fazer por você sobre o seu tratamento do diabetes hoje, ou durante a próxima semana? ‘”, Disse Stuckey.

Familiares e amigos também podem se educar sobre a doença, visitando os sites da Associação Americana de Diabetes e da Federação Internacional de Diabetes, e participando de visitas ao consultório do médico.

“Embora haja aspectos psicossociais negativos em se ter diabetes, descobrimos que as pessoas são resistentes e encontram maneiras de se adaptar”, disse Stuckey. “Se as pessoas com diabetes puderem ser mais abertas e compartilhar suas experiências – e se pudermos ouvi-las – isto poderia aumentar a compreensão e auto-gestão”.

Fonte: Penn State

http://www.sciencecodex.com/


Similar Posts

Topo