Agenda cheia e rotina não podem ser desculpas para a má alimentação

Comer de maneira saudável, mesmo com a correria do dia a dia, pode-se prevenir doenças como o diabetes

A família moderna é assim: pai e mãe acumulam horas de trabalho, enquanto seus filhos (pequenos ou adolescentes) estudam e realizam atividades diárias, como esportes, cursos, entre outras tarefas. O dia se transforma em uma corrida contra o tempo e, muitas vezes, a alimentação fica comprometida, resultando em refeições erradas, fora de hora e sem o devido cuidado na escolha dos alimentos, mesmo sendo a alimentação um fator fundamental para minimizar riscos de desenvolver doenças, como o diabetes tipo 2.

“A maioria das pessoas erra logo pela manhã, no momento da alimentação mais importante do dia. Muita gente pula o café da manhã ou, então, o consome no meio do caminho, optando por alimentos industrializados”, comenta a Dra. Gisele Rossi Goveia, nutricionista especialista em Nutrição Clínica e membro da Sociedade Brasileira de Diabetes (SBD).

A hora do almoço também é prejudicada, já que para otimizar o tempo, as pessoas recorrem aos restaurantes por quilo, sem pensar nas escolhas, o que segundo a Dra. Gisele, nem sempre é a melhor opção. “O almoço em restaurantes por quilo precisa ser muito bem pensado. Em locais como esse, a variedade de alimentos é muito grande, o que coloca à disposição do consumidor alimentos muito bons e outros nem tanto, com alto índice de gordura, sódio e açúcar”.

No jantar, a falta de tempo também pode comprometer a alimentação saudável. Um levantamento do Ministério da Saúde, o Vigitel 2013, apontou que “16% das pessoas (12,6% dos homens e 19,7% das mulheres), substituem o jantar nutritivamente balanceado por opções de baixo valor nutritivo, como pizzas, lanches ou salgados¹, o que não é recomendável, podendo contribuir para maior consumo de gorduras e reduzir vitaminas e fibras”, comenta a Dra. Gisele.

De acordo com a nutricionista, a boa notícia é que existem alternativas para que a família contemporânea se alimente de maneira adequada e balanceada. “Descomplicar é a primeira saída para uma alimentação saudável. Hoje, o mercado oferece muitas soluções práticas e nutritivas. Um lanche gorduroso, por exemplo, pode ser substituído por pão integral (com grande teor de fibras), recheios com menor teor de gordura (como o peito de peru no lugar do presunto e substituição dos queijos amarelos por ricota e queijo fresco, por exemplo) e ainda a inclusão de vegetais e frutas para compor esta refeição. Vale ressaltar que o consumo regular de frutas e hortaliças, em cinco ou mais dias da semana é considerado pela OMS como um marcador de padrão saudável na prevenção de doenças crônicas não transmissíveis (DCNT)”.

Uma alimentação não balanceada contribui para o ganho de peso, que é um dos fatores que aumenta o risco de um indivíduo desenvolver o diabetes tipo 2. “É importante ressaltar que o diabetes tipo 2 é um exemplo de doença que está muito relacionada à obesidade e, por este motivo, atinge cada vez mais a população mais jovem. Assim, para evitar doenças como essa, é preciso adotar um estilo de vida mais saudável, aliando atividades físicas ao equilíbrio alimentar, optando por escolhas mais saudáveis mesmo em dias mais corridos”, finaliza Dra. Gisele.

http://www.bemparana.com.br/


Similar Posts

Topo