Exame de sangue simples pode identificar pessoas em risco de diabetes

Pesquisadores-médicos do Hospital Geral de Massachusetts, em colaboração com médicos da Universidade de Alberta, desempenharam papel importante ao descobrirem que um exame de sangue simples pode identificar pessoas em risco de desenvolver diabetes, mais de 10 anos antes do aparecimento da doença. A equipe descobriu um biomarcador no sangue que se acumulou em níveis mais elevados nas pessoas em risco de desenvolver diabetes.

“Isso pode se tornar parte de , olhar para este biomarcador em exames de sangue”, disse Peter Luz, diretor do Instituto de Diabetes de Alberta e pesquisador da Faculdade de Medicina e Odontologia na mesa universidade.

“Pré-diabéticos tinham altos níveis deste biomarcador-50 por cento mais do que os não-diabéticos. Este marcador estava presente em  no sangue tão cedo quanto 12 anos antes do início da . É potencialmente uma nova maneira de determinar quem é de alto risco muito mais cedo”.

O papel de Luz na descoberta foi em trabalhar com ilhotas humanas. O chefe da pesquisa Robert Gerszten pediu a Luz para emprestar sua expertise em biologia das ilhotas ao projeto quando eles se conheceram no ano passado em Edmonton, e Luz estava ansioso para fazer parte da colaboração internacional. Gerszten trabalha na divisão de cardiologia do Hospital Geral de Massachusetts, o original e maior hospital de ensino da Harvard Medical School. Outros pesquisadores da equipe vieram de todo os Estados Unidos e Europa. Os resultados da equipe foram publicados recentemente no Journal of Clinical Investigation.

A equipe encontrou o biomarcador ao olhar para amostras de sangue de mais de 1.900 norte-americanos, que fizeram parte de um estudo que incidiu sobre as doenças cardiovasculares. Os pacientes que mais tarde desenvolveram a diabetes tipo 2 tinham níveis elevados deste marcador no sangue, mesmo que estes pacientes apresentassem tolerância normal à glicose. A equipe encontrou os mesmos resultados quando eles examinaram o trabalho de sangue de mais de 4.200 pessoas que participaram de um estudo sueco.

O grupo de Luz descobriu que o biomarcador aumentou a liberação de insulina das ilhotas humanas, mesmo em níveis baixos de glicose, sugerindo que ao longo do tempo as ilhotas podem desgastar-se, levando à diabetes tipo 2.

“Analisamos centenas de substâncias químicas no sangue para ver se poderíamos detectar mudanças na composição química antes de uma pessoa desenvolver diabetes”, disse Gerszten, diretor de pesquisa clínica e translacional do Massachusetts General Hospital Institute for Heart, Vascular and Stroke Care.

“Estamos muito esperançosos de que dentro de quatro a cinco anos, este  que é muito simples, será uma ferramenta que os médicos usarão para ajudar a tratar seus pacientes. Diabetes é um dos principais contribuintes para a doença cardíaca, e estamos trabalhando para desenvolver esta nova técnica para determinar quem está mais em risco e, finalmente, como podemos ajudá-los a viver vidas mais saudáveis​​”.

O grupo de Gerszten em seguida, trabalhou com animais de laboratório e descobriu que os níveis deste  aumentou em ratos que foram alimentados com dietas ricas em gordura.

 

http://medicalxpress.com/


Similar Posts

Topo