Um arroz bom para diabéticos

Quase sempre, os diabéticos são aconselhados a comer menos arroz.

O motivo: os grãos ricos em amido podem, potencialmente, libertar quantidades elevadas de açúcar no sangue quando digerido.

Um estudo realizado em Xangai 2007, descobriu que as mulheres de meia-idade que comem grandes quantidades de arroz e outros carboidratos refinados estavam com um risco aumentado para diabetes em comparação com os seus pares que comiam menos arroz.

Nos Estados Unidos, os americanos que comem arroz branco em uma base regular de cinco ou mais vezes  por semana, são quase 20 por cento mais propensos a desenvolver diabetes do que aqueles que comem menos de uma vez por mês.

Mas os diabéticos podem agora se preocupar menos. Pesquisadores do Instituto de Pesquisa Internacional do Arroz (IRRI) localizado em Laguna, nas Filipinas, já identificou o gene chave que determina o índice glicêmico (IG) do arroz.

O resultado da pesquisa, que analisou 235 tipos de arroz de todo o mundo, é uma boa notícia, porque significa que o arroz pode ser parte de uma dieta saudável para o consumidor médio. Significa, também, que pessoas com diabetes, ou em risco de diabetes, podem selecionar o arroz correto para ajudar a manter uma alimentação saudável, fazendo uma dieta de baixo IG (índice glicêmico).

“É uma conquista importante, que oferece aos plantadores de arroz a oportunidades de desenvolverem variedades com diferentes níveis de IG (índice glicêmico) para atender as necessidades dos consumidores”, disse o IRRI, em comunicado. “O desenvolvimento futuro de arroz de baixo IG também permitiria que os fabricantes de alimentos desenvolvessem novos produtos alimentares de baixo IG com base no arroz.”

IG (Índice Glicêmico) é uma medida da velocidade que os carboidratos, como a glicose, entram na corrente sanguínea. “O IG também indica a velocidade com que os carboidratos quebram durante a digestão no intestino delgado para a glicose e açúcares simples, frutose e, às vezes, galactose,” explica o Dr. Virgilio M. Ofiana em sua coluna semanal para um jornal nacional.

“A glicose é o açúcar que é mais rapidamente absorvido e tem um IG de referência de 100 ou maior”, escreve Ofiana. “Tanto a frutose quanto a galactose entram na circulação a uma taxa mais lenta, pois precisam ir para o fígado para se converterem em glicose: ambos, portanto, têm IG mais baixos”.

Dr. Melissa Fitzgerald, que liderou a equipe de pesquisa do IRRI, descobriu que o IG do arroz varia muito de um tipo para outro, variando de um mínimo de 48 e um máximo de 92, com uma média de 64. “Alimentos com baixo IG são aqueles com 55 ou menos. Alimentos de médio IG são aqueles medidos entre 56 e 69 anos, enquanto os alimentos de alto IG medem 70 e acima”, explicou o IRRI.

O arroz com baixo IG é, de fato, uma boa notícia para os filipinos, que são as pessoas que mais se alimentam de arroz. Como nosso comentarista sobre alimentos, Doreen Fernandez escreveu: “Se não tivéssemos o arroz, a nossa comida preferida, provavelmente nos sentiríamos menos filipinos”.

As Filipinas são o lar de 4 milhões de diabéticos, sendo que mais de 3 milhões nem sabem que têm a doença. “Muitas pessoas ainda não sabem que têm diabetes”, disse Tommy Ty Wiling, presidente da Diabetes Filipinas.

O Departamento de Saúde relacionou a diabetes como a nona principal causa de morte entre os filipinos atualmente. Em vinte anos, as Filipinas deverá estar entre os 10 países do mundo com o maior número de pessoas com diabetes. Cerca de 500 filipinos estão sendo diagnosticados com a doença todos os dias.

“Compreender que os diferentes tipos de arroz têm diferentes valores de IG permite que os consumidores de arroz façam escolhas mais saudáveis, informados sobre qual arroz que eles pretendem comer”, disse Fitzgerald. “O arroz mais cultivado na Índia, Swarna, tem um baixo IG e outras variedades como Doongara da Austrália e o Basmati tem um IG médio.”

Dietas com baixo IG oferecem uma gama de benefícios à saúde, disse o Dr. Tony Bird, um pesquisador da Austrália Commonwealth Scientific and Industrial Research Organization. “Dietas de baixo IG pode reduzir a probabilidade de desenvolver diabetes tipo 2, e também são úteis para ajudar aos diabéticos a gerenciar melhor sua condição”, ressaltou.

Existem dois tipos de diabetes. A diabetes tipo 1, por vezes chamado de diabetes mellitus ou diabetes juvenil,  é dependente de insulina injetável. Já a diabetes tipo 2 é conhecida como diabetes mellitus não dependente de insulina, ou diabetes do adulto, sendo resultante da incapacidade do corpo em processar o hormônio insulina de forma eficaz. Cerca de 90 por cento de todos os diabéticos têm esta forma.

O desenvolvimento de uma variedade de arroz com baixo IG é um avanço à espera de acontecer. “Esta é uma boa notícia para os diabéticos e pessoas com risco de diabetes que estão tentando controlar a sua condição através de dieta, uma vez que significa que eles podem selecionar o arroz correto para ajudar a manter uma alimentação saudável, uma dieta de baixo IG”, disse Bird.

IRRI concordou. “Comer arroz com outros alimentos podem ajudar a reduzir o IG global de uma refeição, e quando combinado com exercício físico regular, pode reduzir as chances de diabetes”, disse. “Além disso, as pessoas que se exercitam, precisam de mais carboidratos em sua dieta e podem tirar proveito de alimentos com baixo IG para a atividade sustentável”.

http://businessmirror.com.ph/


Similar Posts

Topo