Diabetes tipo 2 – Acabe com a confusão sobre o que comer

A Associação de Diabetes do Canadá estima que atualmente um em cada quatro canadenses têm diabetes ou pré-diabetes e que esse número pode subir para um em cada três até 2020.

Tenho a sorte de trabalhar com a nutricionista Deb Lounsbury, que é um educadora de diabetes certificada e que, ao longo dos últimos 25 anos, trabalhou em áreas como diabetes, saúde cardiovascular e tratamento da obesidade. Ela me ajudou a esclarecer alguns dos mitos mais comuns sobre nutrição e diabetes.

Leia e confira:

Mito n º 1: Diabetes é sobre como evitar doces e açúcar.

FATO: O Diabetes é sobre como gerenciar o consumo de carboidratos.

“Não há nada que você precisa evitar, todos os alimentos podem ser consumidos mesmo se você tem diabetes”, diz Lounsbury. A chave do controle do diabetes está em particionar a comida durante todo o dia para que o seu corpo lide com uma quantidade razoável de carboidratos de cada vez.

Se você acabou de ser diagnosticado com diabetes tipo 2, Lounsbury sugere limitar os alimentos açucarados óbvios, tais como suco de frutas, refrigerantes, doces e guloseimas para conseguir manter o seu açúcar no sangue sob controle. Uma vez que o açúcar no sangue ficar mais bem administrado, ela trabalha para ajudar as pessoas a entender como, ocasionalmente, podem incorporar alimentos como sobremesas.

Lounsbury também enfatiza que os carboidratos ainda podem ser apreciados por diabéticos. “Diabetes é sobre como gerenciar o consumo de carboidratos, e não apenas sobre a limitação de doces, batatas, massas e pão”. Muitos de seus clientes são surpreendidos ao saber que os carboidratos são encontrados, não apenas em doces e grãos, mas no leite, iogurte, frutas, suco e milho.

Mito n º 2: Devo comer seis vezes por dia.

FATO: Coma a cada 4-5 horas.

Embora o chamado pastejo tenha sido sugerido ser útil para o gerenciamento de açúcar no sangue, fique ciente de que nem todo mundo precisa comer a cada duas horas. Comer constantemente pode contribuir para o excesso de calorias e ganho de peso, o que não ajuda no controle do diabetes.

Lounsbury sugere comer a cada quatro ou cinco horas, dispersando os alimentos ricos em carboidratos ao longo do dia, além de tomar medicação para a diabetes como prescrito pelo seu médico.

Mito n º 3: Deve-se seguir uma dieta especial.

FATO: Você pode comer alimentos normais como todos os outros.

Lounsbury constata que muitos de seus clientes ficam aliviados de saber que eles não precisam comer uma refeição separados de outros membros da família. Você pode comprar comida no supermercado e cozinhar receitas regulares. Entretanto você certamente pode baixar os níveis de açúcar das refeições ao usar livros de receitas para quem tem diabetes ou comprando alimentos sem açúcar, mas isso não é obrigatório.

Embora o tipo de alimento que você coma seja importante para a saúde, quando se trata de gestão de açúcar no sangue, Lounsbury enfatiza que muitas vezes “as porções são tão importantes quanto o tipo de alimento ingerido”. Por exemplo, se você tivesse a escolha entre o cozimento de sua receita de batata recheada favorita ou tentar uma receita menor da batata, o mais importante é limitar-se a uma de cada vez, independentemente da escolha.

Mito n º 4: Alimentos de baixo índice glicêmico são os melhores.

FATO: O tamanhos das porções são ainda mais importantes.

O índice glicêmico é uma escala que classifica os alimentos contendo carboidratos de acordo com a velocidade com que eles elevam o nível de açúcar no sangue. Um alimento de baixo índice glicêmico aumenta o açúcar na corrente sanguínea lentamente e, portanto, muitas vezes é preconizado para as pessoas com diabetes.

Lounsbury recomenda consumir alimentos de baixo e médio índice glicêmico mais vezes, mas nos lembra que muitas vezes não se deve comer os alimentos por si só. “Um alimento de alto índice glicêmico, tal qual a batata cozida, deve ser frequentemente consumida com proteínas e vegetais que ajudam a reduzir o rápido aumento de açúcar no sangue”.

A coisa mais importante a ter em consideração é o tamanho da porção dos carboidratos. Apesar de cada pessoa ser diferente, Lounsbury sugere como um ponto de partida geral, manter os grãos e amidos como parte da refeição em cerca de um quarto do prato ou na quantidade do tamanho de seu punho. Também não se esqueça de equilibrar a refeição com proteínas e vegetais.

Mito n º 5: O álcool sempre aumenta o açúcar no sangue.

FATO: O álcool pode diminuir o açúcar no sangue.

O álcool pode ter efeitos variáveis ​​sobre o açúcar no sangue e é algo que você deve falar com seu educador de diabetes.

Algumas bebidas alcoólicas, tais como espumantes doces, vinhos de sobremesa e licor misturado com suco ou refrigerantes, podem conter altos níveis de açúcar, sendo que pode haver exceções. Mas o próprio álcool pode diminuir o açúcar no sangue.

Por isso, é aconselhável que ao beber álcool, você deve fazê-lo com moderação e também consumir um alimento contendo carboidratos.

Mito n º 6: Eu devo consumir adoçantes alternativos.

FATO: Adoçantes alternativos são uma opção, mas certamente não é obrigatório.

Algumas pessoas vão optar por consumir alimentos como bebidas diet, doces sem açúcar e iogurte diet e fazer uso dos diversos adoçantes do mercado. Porém, como uma fã ferrenha e defensora do consumo de comida de verdade (feita de material que cresce em árvores, na terra e tem nomes de ingredientes nas embalagens que seus filhos podem facilmente ler), eu prefiro a abordagem de qualidade sobre a quantidade.

Você pode apostar que eu hospedo pessoas com diabetes. Eu prefiro muito mais servir pequenos pedaços de bolo caseiro delicioso feito com ingredientes que minha avó reconheceria.

Andrea Holwegner –  Nutricionista da Health and Nutrition Consulting Inc. Visite www.healthstandnutrition.com

http://www.calgaryherald.com/


Similar Posts

Topo