Entenda o diabetes – Por que a glicemia sobe quando não deveria?

PERGUNTA: Exercícios durante um curto período de tempo podem aumentar o envolvimento do cortisol e do fígado na produção de glicose e causar um impacto negativo sobre os níveis de açúcar no sangue?

Resposta: Eu acho que o que esta pessoa está pensando é sobre o efeito adverso que o exercício pode causar nos níveis do açúcar no sangue. Eu uma vez comentei sobre algo que Elliot Joslin tinha dito a nós em 1947. Ao contrário dos médicos modernos, ele acreditava em níveis de açúcar no sangue normais para nós diabéticos, e até mesmo em dietas de baixo carboidrato. Ele dava aulas, e há muito tempo atrás, eu estava em uma de suas classes sendo a pessoa mais jovem da turma. E sobre este assunto, eu só consigo me lembrar de uma coisa que ele ensinou. Ele disse: “Nunca corra um quarteirão atrás de um ônibus. Se tiver que correr atrás de um ônibus, corra pelo menos cinco quarteirões”.

Ele disse que um rápido, breve e intenso exercício, irá estimular a produção de hormônios contra-reguladores, como o cortisol e outros hormônios que podem elevar o açúcar no sangue. Então, se você for fazer esse tipo de exercício extenuante, tente fazê-lo por tempo suficiente para reduzir o seu nível de açúcar no sangue.

Uma outra questão que pode surgir seria se o exercício moderado prolongado, como uma caminhada, vai elevar o açúcar no sangue. Como regra geral, isso não acontece. Na verdade, ele pode diminuir o açúcar no sangue durante horas depois. Porém, pode haver exceções, tais como o exercício pouco depois de se levantar de manhã, em virtude do fenômeno de madrugada.

 

Polímero de celulose
Polímero de celulose

PERGUNTA: Eu não estou muito certo a respeito do que você quer dizer sobre a celulose e sua relevância nos sucos vegetais e sucos, e qual a sua influência no aumento da glicemia. Ocorre porque a sua fibra foi separada da polpa sendo, portanto, mais rapidamente digerida?

Resposta: Não. A celulose é um polímero de glicose. Um polímero é uma série de moléculas presas umas às outras, formando cadeias assim como os elos de uma pulseira ou de uma corrente de âncora. Você pode quebrar os laços entre os polímeros das moléculas de glicose.

Imagine agora que você tenha tirado uma foto de celulose e impresso em um pedaço de papel. Você tem um G para a glicose, e depois outro G ao lado dele, seguido por outro G e outro G – eles estão todos conectados. Se você olhar para essa cadeia, tudo não passará de uma cadeia. Mas se você pegar uma tesoura e cortar o G da extremidade, agora você tem uma glicose pura, uma glicose livre pelo simples fato de cortar o G com a tesoura.

Então digamos que você faça dois cortes, passando agora a livrar o G que está no meio da cadeia: Você faz um corte em um dos lados e um corte do outro lado. Agora você já liberou outro G, que agora é glicose pura também. Assim, apenas fazendo um monte de cortes em uma tira de celulose, você está gerando uma série de glicoses puras. Você faz isso com a celulose a utilizar um espremedor. É uma maneira muito fácil de transformar a celulose, que é indigesto, em glicose pura, o que vai elevar o açúcar no sangue muito rapidamente.

 

Dr. Richard K. Bernstein é um defensor de longa data de uma abordagem de baixo carboidrato para a gestão do tipos 1 e 2 da diabetes. Diagnosticado há 60 anos com o tipo 1, o Dr. Bernstein foi pioneiro no conceito de redução do uso de insulina e dos níveis de açúcar no sangue, reduzindo-se o consumo de carboidrato, ao invés de proteína e gordura, abordagem agora aceita, mas que o estabelecimentos de diabetes resistiram por anos. O médico atua em Long Island, e na sua prática trata apenas pacientes com diabetes e pré-diabetes,  já tendo publicado quatro livros sobre dieta e controle de açúcar no sangue. Seu site Solução em Diabetes tem informações detalhadas sobre a sua história pessoal e filosofia de gestão da diabetes.

 

http://diabeteshealth.com/


Similar Posts

Topo