FireFly – Detector anti-hipoglicemia

Detector de hipoglicemia

Um dispositivo usado como um relógio de pulso ou um anel, e que poderia ajudar a milhares de diabéticos a evitar ataques perigosamente baixos de açúcar no sangue (hipoglicemia), está sendo testado na Austrália.

O dispositivo permitiria aos diabéticos do tipo 1, a monitorar seus níveis de glicose no sangue sem necessidade de picadas de agulhas invasivas.

Duas empresas Melbourne estão desenvolvendo a tecnologia, que tem como objetivo detectar mudanças sutis na pele – e tremores que ocorrem nos estágios iniciais de hipoglicemia.

Se a última tentativa for bem sucedida, o dispositivo poderá estar disponível dentro de 18 meses ao custo de cerca de U$ 200 (duzentos dólares).

O consultor endocrinologista Dr. Richard Burnett, que começou a desenvolver o sistema de alerta precoce no Royal Adelaide Hospital há quase uma década, disse que o dispositivo poderia melhorar e salvar vidas.

Dr. Burnett disse que o período mais perigoso para os diabéticos do tipo 1 é quando eles dormem.

“A maior preocupação para todos os pacientes diabéticos é a baixa de glicose no sangue, o que leva à hipoglicemia ou um ataque de hipoglicemia”, disse Burnett.

Quando isso ocorre, o paciente pode ficar inconsciente e quando acontece enquanto a pessoa está dormindo, ela pode não acordar.

“Eu fiz um pequeno estudo piloto e eu descobri que quando a glicose no sangue caía, eu podia identificar certas alterações na pele”, disse Burnett.

Ele não revelam a forma como o dispositivo detecta a alteração, porque a tecnologia está numa fase sensível do desenvolvimento.

“O dispositivo age como um alerta quando o açúcar começa a cair, de modo que o diabético pode evitar que uma hipoglicemia ocorra, ao comer ou deixando de injetar insulina”, disse ele.

A empresa com sede em Melbourne, Grey Innovations, está trabalhando com a Firefly Health para desenvolver a tecnologia.

O diretor da Grey Innovations, Jefferson Harcourt, disse que estava se concentrando em transformar o dispositivo em um objeto menor.

“O problema atual com a monitorização dos níveis de açúcar no sangue é que é invasivo, você tem que picar o dedo várias vezes ao dia. Este seria um dispositivo de baixo custo o qual você poderia usar como um relógio de pulso e viver sua vida”, disse ele .

Dr. Stewart Washer, que é diretor do Firefly Health, disse que a empresa tinha acabado de receber uma doação de US $ 50.000 para começar os testes em Adelaide para mostrar que o aparelho tinha vantagens sobre os sistemas de monitoramento de glicose atuais.

Após a experiência atual com 20 pacientes, o dispositivo será mais refinado e daremos início a um estudo em grande escala.

A Tecnologia – Detecção de tremor pré-hipoglicemia

A melhor prática atual para monitorar os níveis de glicose no sangue em pacientes diabéticos é através da análise de sangue direta, um teste com um picada no dedo. Esta é uma tarefa invasiva e inconveniente que muitas vezes leva ao mau monitoramento de glicose no sangue por pacientes e um alto risco de hiperglicemia ou hipoglicemia, condições que podem levar à cegueira, amputação de membros, acidente vascular cerebral, inconsciência e até a morte.

Firefly é um produto não-invasivo, que visa capacitar os diabéticos, dando-lhes um controle mais eficiente dos seus níveis de glicose no sangue e reduzir a ocorrência de ambos, da hipoglicemia aguda e complicações relacionadas ao diabetes crônicas.

Firefly utiliza um método alternativo para indicar o início da hipoglicemia através da monitorização tremores e sintomas fisiológicos específicos aos baixos níveis de glicose no sangue. Se o início da hipoglicemia é identificado o produto irá alertar o paciente, permitindo-lhe tomar medidas preventivas.

 

http://www.heraldsun.com.au/


Similar Posts

Topo