Aspectos sociológicos e farmacológico da diabetes

Traços de personalidade, idade e sexo não têm um impacto significativo na gestão da diabetes

Pesquisadores avaliaram o impacto das características dos pacientes em relação à angústia causada pelo diabetes e os fatores psicológicos de indivíduos com diabetes tipo 1. Os dados foram coletados e estratificados entre fatores sociais, econômicos e de estilo de vida em um inventário / questionário de avaliações.

Os pesquisadores descobriram que não houve correlação entre traços de personalidade e controle metabólico do diabetes.

Koopman e colegas avaliaram a força da associação entre educação, renda, ocupação, ou uma combinação dos três e o risco de diabetes tipo 2. Mais de 1.100 pacientes foram incluídos no estudo, e durante seus acompanhamentos, 9,1% dos participantes tinham desenvolvido diabetes tipo 2.

Só a pessoa com baixo nível de renda foi estatisticamente significativa para a sua associação com um risco aumentado de diabetes, no entanto, a combinação de renda, ocupação e nível de escolaridade melhor prediz o aumento do risco de DM2 em indivíduos com baixo status socioeconômico.

Um estudo examinando pacientes tratados com vildagliptina ou sulfonilureia, combinado com metformina, mostrou fornecer controle glicêmico eficaz, independentemente da idade ou sexo. Mudança na HbA1c entre grupos de gênero com vildagliptina e sulfonilureia não foram estatisticamente significativos, no entanto, eles descobriram que a vildagliptina reduz a HbA1c mais eficazmente do que sulfonilureia.

Conclusões:

  • Nenhuma correlação foi encontrada entre traços de personalidade e controle metabólico do diabetes.
  • Nível de rendimento baixo está associado a um risco aumentado de diabetes.
  • O controle glicêmico não é afetado pela idade e sexo.

 

EASD Barcelona, ​​26 setembro 2013

1. A Duda-Sobczak, D Zozulinska-Ziolkiewicz, B Wierusz-Wysocka. Associação dos traços de personalidade com angústia relacionada ao diabetes e fatores psicossociais em indivíduos com longa duração do diabetes tipo 1.

2. A Koopman, F, S Rutters Rauh, PJ Kostense, SDM Bot, CA Baan, et. ai. Status sócio-econômico – combinação de ocupação, escolaridade e nível de renda – e o risco de diabetes: o estudo Hoorn.

3. M. Ratzinger 1 , H. Brath 2 , A. Kautzky Willer- 3 , G. Bader. O controle glicêmico não é afetado pela idade e gênero: os resultados de um grande estudo de coorte (EDGE). 

 

http://www.diabetesincontrol.com/


Similar Posts

Topo