Rotineiras visitas de acompanhamento com seu médico


Assumir a responsabilidade pelo cuidado de sua própria diabetes pode livrá-lo de alguns defeitos que foram adquiridos em muitos anos por você. Também requer o estabelecimento de novos hábitos, como o exercício e o auto-monitoramento do nível de açúcar no sangue, que são mais fáceis de abandonar do que seguir.

Uma vez que o açúcar no sangue está controlado, leva só alguns meses para você convenientemente esquecer da dor que costumava sentir em seus dedos do pé, ou não lembrar mais que o pai ou amigo perdeu uma perna ou visão devido a complicações da diabetes, e assim por diante. Conforme o tempo passa, você vai achar que com a diabetes, como com a vida em geral, vai gradualmente fazer o que é mais fácil ou mais agradável no momento. Este retrocesso é bastante comum.

Quando eu não via um paciente durante seis meses, eu geralmente pesquisava seu histórico alimentar e descobria que algumas das orientações dietéticas básicas foram esquecidas. Perfis simultaneamente de açúcar no sangue, níveis de hemoglobina glicosilada, perfil lipídico, e até mesmo os níveis de fibrinogênio podiam ter se deteriorado. Tal deterioração pode ser evitada quando vejo o paciente a cada dois meses.

Todos nós precisamos de um empurrãozinho para voltar à pista, e parece que um período de cerca de dois meses é um bom tempo para a maioria de nós. Eu não era o primeiro diabetologista a observar isso, e seu médico também pode querer que você vá visitá-lo em intervalos semelhantes.

Requisitos de dosagem de insulina ou ISA (agentes sensibilizadores de insulina) podem mudar ao longo do tempo, seja devido a alterações de peso, à deterioração ou melhoria da produção das células beta, ou apenas devido à mudanças de temperatura sazonais. Portanto, há uma necessidade contínua de ajustes desses medicamentos. Novamente, os intervalos de dois meses são apropriados.

O que o seu médico pode querer considerar nessas visitas de acompanhamento?

1. Primeiro de tudo, o seu médico deve tentar responder a todas as novas perguntas que você possa ter. Estas podem cobrir uma série de assuntos, desde algo que você leu no jornal às novas queixas físicas ou insatisfação com sua dieta. Anote suas perguntas com antecedência, de modo que você não as esqueça. Seu médico irá, naturalmente, querer rever suas anotações com os dados do nível de açúcar no sangue cobrindo um período de pelo menos duas semanas. Não faz sentido para o seu médico rever os dados anteriores, uma vez que é história antiga. Se ele ou ela quer ajustar seus medicamentos ou plano de refeição, as mudanças devem ser baseadas em informações atuais. Lembre-se, no entanto, que os dados devem ser completos e honestos. Isso significa, por exemplo, que se você passou algumas horas fazendo compras, festas ou muito tempo na rua, deve-se anotar em sua folha de dados. O que não é normal pode ser perigoso, pois o seu médico poderá mudar os seus medicamentos com base no nível de açúcar elevado causado por alguma indiscrição dietética não registrada.

2. Seu médico também vai querer tirar um pouco de sangue. Em cada visita sua HgbA1C (hemoglobina glicosilada) deve ser verificada. Você não precisa estar em jejum para este teste. Médicos atualizados estão agora realizando este teste no consultório com uma pequena gota de sangue do dedo. Os resultados podem ser obtidos em cerca de 6 minutos. Pelo menos uma vez por ano, um exame de perfil lipídico completo, incluindo LDL sub-partículas deve ser realizado, e os níveis de fibrinogênio devem ser verificados, proteína C-reativa também deve ser medida. Estudos da função renal, incluindo cristatina-c também deve ser realizado. Você deve se lembrar que estes exigem uma coleta de urina de 24 horas, que deve ser concluída no dia da visita.

3. Lembre-se que os “valores normais” para o perfil lipídico são baseados em determinações de jejum. Portanto, se o seu médico tem planejado tais testes, tente marcar uma consulta no início da manhã, e não tome café da manhã. Se você estiver de jejum pela manhã, não se esqueça também de ignorar a sua insulina pré-prandial ou remédios, se você costuma usar esses medicamentos para reduzir a glicemia após o café da manhã.

4. Não omita comprimidos de glicose ou Humalog (lispro) necessários para corrigir os níveis baixos ou elevados de açúcar no sangue. Lembre-se também de tomar a dose basal do medicamento ou insulina de ação prolongada, pois a sua finalidade é apenas o de manter o nível de açúcar no sangue em jejum. Seu médico também pode querer realizar outros exames de sangue de tempos em tempos, como um hemograma e um perfil químico. Se você está tomando o medicamento estatina para níveis elevados de LDL, testes de função hepática devem ser realizados.

5. Um exame físico parcial, incluindo o de peso, deve ser realizado de dois em dois meses. Normalmente, o elemento mais importante dessas visitas deve ser o exame de seus pés. Este exame não é apenas para procurar lesões, bolhas, ou o que você tem. Igualmente importante é a descoberta de pele seca, pé de atleta, pontos de pressão de sapatos mal ajustados, unhas encravadas infectadas por fungo, e calos. Seus sapatos também devem ser examinados para áreas onde foram esticados devido a proeminências em seus dedos do pé, sugerindo que eles são menores do que seus pés. Qualquer um destes pode causar ou pode indicar problemas que poderiam levar a úlceras dos pés e deve ser corrigido.

6. A pele seca é melhor tratada com aplicações diárias de óleos animais ou vegetais, tais como óleo de vitamina E, óleo de azeitona, emulsionado de lanolina, óleo de ema, óleo ou qualquer outra propriedade do óleo mineral. A cura para sapatos mal ajustados são sapatos novos (possivelmente sob medida), com um dedo a mais de largura e com um aumento de profundidade. Calos freqüentemente requerem a compra de órteses personalizadas que redistribuem a pressão sobre o fundo de seus pés. Ralar os calos não é a solução, pois os calos são um sintoma, não causa, de um excesso de pressão. Sua remoção é a causa mais comum de amputações em pacientes que eu vejo na clínica de tratamento de feridas do meu hospital.

7. Após descanso, a pressão arterial deverá ser medida, sendo repetida a cada poucos minutos até que a leitura mais baixa seja obtida, sendo obrigatório a cada visita se sua pressão arterial ainda estiver um pouco elevada. Se a sua pressão arterial for geralmente normal, deve ser verificada a cada doze meses de qualquer maneira. Ao longo de um ano ou dois, outros aspectos do exame físico devem ser realizados. Os testes não precisam ser feitos em uma só visita, mas podem ser escalonados. Estes incluem estudos oscilométricos da circulação do sangue nas pernas, um eletrocardiograma, testes de sensibilidade em seus pés e um exame oftalmológico completo. O exame oftalmológico deve incluir os reflexos papilares, acuidade visual, pressão intra-ocular, o teste da tela de Amsler, um teste de visão dupla e exame de suas lentes, câmara anterior e retina através de pupilas dilatadas. Este último exame deve ser realizado com determinado equipamento especializado que inclui oftalmoscópios diretos e indiretos e uma lâmpada de fenda. Se o seu médico não é tão equipado assim, ou se ele tiver encontrado anteriormente problemas em sua visão com risco de potenciais de alterações nos seus olhos, você deve ser encaminhado para um oftalmologista ou retinologista.

8. Se o seu exame físico inicial revelar complicações diabéticas, como os primeiros sinais de neuropatia, síndrome do túnel do carpo, ou contraturas de Dupuytren, exames para essas complicações devem ser periodicamente repetidos. O estudo do intervalo RR deve ser repetido a cada dezoito meses, mesmo que inicialmente se apresente normal.

O melhor tratamento para as complicações do diabetes é a prevenção. O segundo melhor tratamento é a detecção nos estágios iniciais, enquanto inversão ainda é possível. Por estas e as razões mencionadas acima, eu recomendo fortemente visitas ao seu médico a cada dois ou, no máximo, três meses.

 

Dr. Richard K. Bernstein é um defensor de longa data de uma abordagem baixo carboidrato para a gestão do tipos 1 e 2 da diabetes. Diagnosticado há 60 anos com o tipo 1, o Dr. Bernstein foi pioneiro no conceito de redução do uso de insulina e dos níveis de açúcar no sangue, reduzindo o consumo de carboidrato, ao invés de proteína e gordura, abordagem agora aceita, mas que o estabelecimentos de diabetes resistiram por anos. O médico atua em Long Island, e na sua prática trata apenas pacientes com diabetes e pré-diabetes, já tendo publicado quatro livros sobre dieta e controle de açúcar no sangue. Seu site Solução Diabetes tem informações detalhadas sobre a sua história pessoal e filosofia de gestão de diabetes.

 

http://www.diabetes-book.com/


Similar Posts

Topo