História familiar de diabetes associada à Pré-diabetes

Uma história familiar de diabetes aumenta o risco de pré-diabetes, no entanto, o efeito parece significativo, principalmente em pessoas que não são obesas, de acordo com uma meta-análise publicada on-line dia 21 de agosto em Diabetologia .

“Isso pode indicar que os efeitos de uma história familiar de diabetes em pré-diabetes se torna facilmente mensuráveis ​​somente quando não ofuscada por fortes fatores de risco como a obesidade”, escreveram os autores.

A história familiar de diabetes tipo 2 é bem conhecida por ser um fator de risco para a doença, quase dobrando o risco de diabetes entre os filhos. No entanto, pesquisas sobre o risco de pré-diabetes ou por quaisquer subcategorias, tais como glicemia de jejum alterada (IFG) ou intolerância à glicose (IGT), são escassas.

Para o estudo, uma equipe de pesquisadores do Centro Alemão de Pesquisas do Diabetes em Neuherberg, liderada por Andreas Fritsche, MD, avaliou dados de 8.106 pacientes não diabéticos de quatro centros de estudo. Entre os pacientes, 5.482 tiveram tolerância normal à glicose e 2624 tinham IFG e / ou IGT.

Considerando que a história familiar de diabetes mostrou-se significativamente associada com o risco de pré-diabetes em cerca de 40% (intervalo de confiança de 95% [IC], 1,27-1,54), o risco caiu para 26%, quando se fez um ajuste multivariável representando os participantes considerando a idade, sexo e índice de massa corporal (IMC).

Ao avaliar os vários subtipos de pré-diabetes, os autores descobriram que o menor risco estava entre aqueles com IGT isolado (1,25), em comparação com IFG isolado (1,37) ou um IFG e IGT combinado (1,64).

“Dado que a tolerância à glicose diminuída implica numa maior taxa de conversão para diabetes que glicemia de jejum alterada, a sua associação mais fraca com um histórico familiar de diabetes foi surpreendente”, escreveram os pesquisadores.

“Como glicose em jejum alterada é predominantemente associada com a resistência à insulina hepática, enquanto a tolerância à glicose diminuída é frequentemente associada com a resistência à insulina muscular, assim como a secreção de insulina diminuída, pode-se especular que uma história familiar de diabetes pode ter uma ligação mais forte com a resistência à insulina hepática”.

Em geral, quando ajustado para o IMC, a associação entre história familiar de diabetes e pré-diabetes foi evidente apenas em participantes que não eram obesos (IMC <30 kg / m 2 ).

Os resultados sugerem que a história familiar do paciente deve desempenhar um papel importante nas avaliações de risco de diabetes, disseram os autores.

“A maioria dos questionários de risco de diabetes, incluindo a Diabetes Risk Score alemão e o finlandês Findrisk, dependem fortemente de marcadores de obesidade.

“O valor preditivo de tais questionários de risco de diabetes é melhorado pela adição de informações sobre a história familiar de diabetes. Essa melhoria poderia ser mais marcante nas pessoas não-obesas.”

O estudo foi financiado por subvenções do Ministério Federal Alemão de Educação e Pesquisa e pelo Centro Alemão de Pesquisa do Diabetes. Os autores não relataram relações financeiras relevantes.

Diabetologia. Publicado on line em 21 de agosto de 2013. Texto completo

 

http://www.medscape.com/


Similar Posts

Topo