Blog – Parte 14 – O pit-stop da TiaBeth

Para TiaBeth, qualquer lugar é um lugar para parar.

– Pare o carro que acabou minha insulina… 😮

– Como assim?! Qual o problema? Abra a outra.  😐

– A outra está no porta-malas… dentro do isopor.   😮

– Mas por que você não pegou depois do almoço antes de retornarmos a viagem.  😡

– Porque eu não percebi que iria acabar.  😮

– Mas aqui no meio da estrada não dá. Faz o seguinte: logo vamos cruzar por São Mateus (ES), e lá eu sempre pego um ou outro sinal fechado. Então enquanto eu estiver parado você corre e pega a insulina.  😡

– Acho que você não entendeu. Tem que parar mesmo. Está no isopor grande, no fuuuundo da mala.  😮

– *&%$#@%$&@*  – tá bom.  👿

*****************************************************************************************

Viajar com TiaBeth é divertido. Devido à total falta de planejamento, pegar o avião nos fica inviável, visto que o preço da passagem de quem não compra com antecedência é muito alto. Ir para Arraial d’Ajuda (BA), cujo aeroporto fica em Porto Seguro, ainda é pior, nem voo direto existe à partir do Rio de Janeiro, onde moramos. Por isso sempre pegamos as perigosas e esburacadas estradas do Brasil. Em cada viagem, que sempre é longa, vislumbramos animais, latifúndios, caminhões, treminhões, pequenas cidades, indústrias e alguns acidentes.

Não há lugar certo para parar. Se der fome a gente pára, se quiser ir no banheiro, paramos também. Porém não gosto de parar por outros motivos, a não ser nos casos em que exista uma vista panorâmica com algum mirante próximo para podermos apreciar e tirar fotografia.

TiaBeth numa parada para abastecimento na estrada em algum lugar depois de Vitória (ES)
TiaBeth numa parada para abastecimento na estrada em algum lugar depois de Vitória (ES)

Porém em se tratando de BR-101 em direção à Bahia, a paisagem não muda muito, é até meio monótona. Não existem montanhas, mas sim imensas plantações de eucaliptos pelo caminho fazendo com que nossas paradas resumam-se apenas a aquelas estritamente necessárias. O pior é que, como quase toda esta estrada é de mão dupla e sem acostamento, sempre que paro eu observo uma fila de veículos passando, veículos os quais acabei de ultrapassar, e que deverei ultrapassa-los mais adiante novamente. Ninguém merece.   😥

*****************************************************************************************

– Você precisa parar de novo.  😮

– Mas você já pegou a insulina… foi ao banheiro. Não há mais nada a fazer.  🙄

– Preciso de mais tiras para o medidor de glicose. Está lá atrás no porta-malas…  😮

-*@#$%¨&*#$#%*  👿

 

Dirigido por mim e filmado pela TiaBeth numa das viagens de volta da Bahia em 2009

 

marido-tiabethNey Limonge é psicanalista, engenheiro elétrico e casado com Raquel Limonge, diabética do tipo 1 e protagonista das suas histórias. Escreve o blog Psicoanalisando quando lhe sobra tempo e também o  Blog da TiaBeth. Ele não tem diabetes.

 


Similar Posts

Topo