Estudo identifica novos benefícios da perda de peso para o diabetes

Pessoas com obesidade e com diabetes tipo 2 que perdem uma quantidade modesta de peso e que depois não voltam a engordar, podem obter muitos benefícios para a saúde à longo prazo, incluindo a redução do risco de doença renal crônica, depressão e doenças dos olhos, de acordo com um recente estudo de referência.

Eles também conseguem um melhor controle do açúcar no sangue, melhor qualidade de vida, menos hospitalizações e tomam menos medicamentos, o que reduz os custos médicos.

A perda de peso, no entanto, não reduziu o risco de ter um ataque cardíaco ou acidente vascular cerebral. Os autores do estudo relataram estas informações no último outono.

“A perda de peso ainda é importante, mas as razões por que é importante são diferentes do que pensávamos”, diz o chefe do estudo Rena Asa, um professor de psiquiatria e comportamento humano da Universidade Brown. Asa e outros pesquisadores apresentaram suas conclusões segunda-feira última na reunião científica anual da Associação Americana de Diabetes em Chicago.

“Outros estudos de curto prazo têm demonstrado os benefícios da perda de peso (para pessoas com diabetes), mas este é o primeiro estudo geral, à longo prazo, a examinar um conjunto diversificado de benefícios para a saúde”, diz Tim Church, diretor de pesquisa de medicina preventiva na Centro de Pesquisa Biomédica Pennington, em Baton Rouge.

Quase 26 milhões de crianças e adultos dos EUA têm diabetes. Existem duas formas principais: o tipo 1 e tipo 2. Diabetes pode levar a doenças cardíacas, acidente vascular cerebral, insuficiência renal, amputações do pé e perna e cegueira.

Para o estudo, pesquisadores de 16 centros em todo o país trabalharam com 5.145 pessoas obesas com diabetes tipo 2. O peso médio inicial foi de cerca de 90 quilos. Para metade dos participantes foi atribuído uma dieta e programa intensivo de exercícios. A outra metade participou de um programa geral de educação em diabetes, várias vezes por ano. Foram seguidos por cerca de 10 anos. Entre as conclusões temos:

• Aqueles no grupo de dieta e exercícios perderam cerca 8.6 por cento de seu peso inicial no primeiro ano e mantiveram esta redução de até 6 por cento após cerca de 10 anos. Os participantes do grupo de educação em diabetes perdeu quase 1 por cento de seu peso inicial em um ano, e aos 10 anos tinha perdido cerca de 3,5 por cento.

• Os participantes do grupo de dieta e exercícios tiveram 31 por cento maior propensão de desenvolver doença renal crônica do que o grupo de educação em diabetes.

• O grupo de dieta e exercícios teve sua leitura de hemoglobina A1C (média de açúcar no sangue por cerca de três meses) e HDL (bom colesterol) melhor do que o outro grupo.

• Os participantes do grupo de educação em diabetes, no entanto, tiveram melhor LDL (mau colesterol), possivelmente porque mais deles estavam tomando medicamentos de estatina para baixar o colesterol.

Não houve diferença entre os dois grupos na incidência de ataques cardíacos e derrames, mas foi baixa em ambos, disse Asa.

Church diz que as baixas taxas de doença cardiovascular dos participantes “refletem a tendência nacional dos médicos de tratar agressivamente condições crônicas tais como colesterol alto e hipertensão”.

Gary Foster, um pesquisador de obesidade da Universidade de Temple, na Filadélfia, diz que outro resultado impressionante é que as pessoas que perderam peso foram capazes de se manterem por anos sem recuperar o peso perdido, ao contrário da crença de que quase todo mundo que perde peso volta a engordar.

 

http://www.thetowntalk.com/


Similar Posts

Topo