Lutador brasileiro de Taekwondo fala de seus 40 anos com diabetes

Nasci em março de 1971 e em abril de 1973 fui diagnosticado com diabetes tipo 1. Naquele tempo, a diabetes era uma grande incógnita. Tudo era difícil, existia um certo preconceito das pessoas e, às vezes, até médicos tinham receio de “lidar” com um paciente diabético.

Também não haviam os famosos produtos “diets” que hoje facilitam nossas vidas e muito menos encontrávamos as insulinas de qualidade atualmente existentes.

Foram vários os fatores que contribuíram para que eu conseguisse, o que considero, uma vitória maiúscula sobre esta doença. A força de vontade foi um destes fatores, porém acredito que o que foi, e ainda é de maior importância em minha vida, tenha sido a prática de esporte.

Quando criança morei em uma região onde a garotada sempre adorou esportes e, com certeza, fui influenciado por isso. A maioria gostava de futebol e passei muito tempo me exercitando e jogando bola. Porém, em 1988, conheci através de um amigo de trabalho um esporte que hoje auxilia muito minha vida: o Taekwondo, arte marcial coreana.

Iniciei sua pratica em outubro daquele ano e até hoje continuo com esta atividade. Com o Taekwondo passei a fazer um exercício muito aeróbico que me ajuda imensamente no controle da doença.

Consegui nestes quase 25 anos de Taekwondo, vários benefícios tanto para minha vida, quanto para minha diabetes, uma vez que a arte marcial exige disciplina de seu praticante, além de vários outros preceitos.

Acredito que a diabetes necessita de 4 pontos importantes que são os alicerces para que tenhamos uma excelente qualidade de vida, mesmo com esta condição:

  • o remédio que é essencial,
  • o esporte que auxilia não só a quem tem diabetes,
  • a alimentação que deve sempre ser saudável e
  • a educação, onde a pessoa com diabetes deve sempre procurar informações sobre a doença, além de aprender a se conhecer melhor para identificar o que pode, ou não, lhe fazer mal.

Sobrevivi a todos estes anos sem nenhuma conseqüência negativa da doença e, em 2011, resolvi escrever um livro para contar um pouco de minha trajetória com a diabetes. Em março de 2012 foi o seu lançamento e seu nome é “Memórias com açúcar”.

Procurei, em seu texto, passar um pouco da minha experiência de vida desde a infância até os dias de hoje.

E quem tiver interesse pode entrar em contato comigo através de meu e-mail, memórias_com_acucar@hotmail.com ou pelo site da editora, www.editoabarauna.com.br.

 

memorias-com-acucar

 

 

Marcio Alexandre Pereira – escritor convidado pelo TiaBeth.com

 * Este artigo pode ser reproduzido livremente

 


Similar Posts

Topo