Estudo sugere que jejum intermitente pode ajudar às pessoas com diabetes e doenças cardiovasculares


O jejum intermitente em um determinado número de dias consecutivos ou alternados – foi recentemente indicado como um caminho para a perda de peso e melhora do risco cardiovascular. Uma equipe liderada por James Brown da Universidade de Aston avaliou as várias abordagens para o jejum intermitente na literatura científica. Eles procuraram especificamente as vantagens e limitações no tratamento de obesidade e diabetes tipo 2, utilizando dietas de jejum.

O formato básico do jejum intermitente é comer, ora “normalmente” ora consumindo mais restritamente as calorias. Isso pode ser feito em dias alternados ou em cada dois dias da semana que são classificados como “dias de jejum”. Este tipo de jejum intermitente têm se demonstrado, em estudos, ser tão ou mais eficaz quanto a contagem de calorias todos os dias para perder peso. Evidências de estudos clínicos mostram que o jejum pode limitar a inflamação, melhorar os níveis de açúcares e gorduras em circulação e reduzir a pressão arterial. Nossos corpos durante o jejum mudam a forma como eles selecionam qual o combustível para queimar, melhorando o metabolismo e reduzindo o estresse oxidativo.

Para as pessoas com obesidade, apenas um medicamento (orlistat) está disponível no Reino Unido, e cirurgia gástrica é uma alternativa relativamente rara e caro. Mudanças na dieta continuam sendo a intervenção mais comum usadas para pessoas obesas. O jejum é conhecido por ajudar, mas alguns tratamentos antigos já foram baseados em fome intermitentes. Regimes de jejum intermitente de hoje são mais fáceis de manter e, comprovadamente, ajudam a remover o excesso de quilos a perder.

Os cientistas já sabiam desde 1940 que o jejum intermitente nos ajuda a perder peso e pode reduzir a incidência de diabetes em animais de laboratório. Estudos recentes também confirmaram que restringir a ingestão de calorias poderia reverter diabetes tipo 2 em algumas pessoas. Os pesquisadores mediram melhora da função pancreática e constataram que menos depósitos de gordura associados com a resistência à insulina estavam presentes.

Um coração saudável

Em modelos animais, os cientistas mostraram que o jejum intermitente tem alguns benefícios cardiovasculares que parecem ser semelhantes ao exercício, como a melhoria da pressão arterial e freqüência cardíaca e diminuição do colesterol. O jejum também parece ajudar as pessoas com doença isquêmica do coração. O jejum pode até proteger o coração por aumentar os níveis de adiponectina, uma proteína que tem vários papéis importantes no metabolismo de carboidratos e lipídios e biologia vascular.

“Jejum intermitente pode atingir a maior parte dos benefícios observados quando se faz a cirurgia bariátrica, mas sem os custos, restrição,  e o número de riscos associados com a cirurgia”, de acordo com o autor, James Brown. “Se o jejum intermitente pode ser usado como uma ferramenta para evitar a diabetes em indivíduos de alto risco ou prevenir a progressão dos recentemente diagnosticados com diabetes do tipo 2 poderia ser uma conclusão tentadora e, atualmente, estamos em preparação para novos estudos clínicos para avaliar a eficácia da presente forma de intervenção do jejum no estilo de vida em diversos grupos de pacientes”.

Jejum intermitente é um plano de dieta cada vez mais popular que ganhou as manchetes no período que antecedeu ao Natal de 2012, após o lançamento de um livro sobre o assunto. Os proponentes afirmam que, além da perda de peso, a dieta pode conduzir a uma vida mais longa, e proteger contra outras doenças, em particular contra a demência e doença de Alzheimer.

 

http://www.sciencedaily.com/


Similar Posts

Topo