O guia essencial de medicamentos para diabetes

Eu vi minha mãe, como tantos latinos, lutar contra o diabetes tipo 2. Quase 12 por cento de todos os latinos dos EUA têm diabetes. Além disso, em relação aos latinos em geral, o risco de diabetes é o mesmo para o Caribe, América Central e sul-americanos; 87 por cento maior para os mexicano-americanos e 94 por cento maior para os porto-riquenhos americanos. Diabetes tipo 2 é uma doença evitável que pode prejudicar a qualidade de vida, causando cegueira, problemas cardíacos, disfunção sexual, doença renal, amputações, problemas dentários e muito mais. Portanto, a compreensão de como prevenir o diabetes é essencial.

Existem dois tipos de diabetes, o tipo 1 e o tipo 2, sendo que o diabetes tipo 2 é a forma mais comum. Diabetes tipo 2 ocorre quando o pâncreas, órgão no abdômen, ou produz uma quantidade insuficiente do hormônio insulina ou o corpo se torna resistente aos níveis normais ou até maior de insulina. Isso faz aumentar o nível de açúcar no sangue, o que pode conduzir a um número de complicações se não tratado. Pense o que acontece quando você coloca o açúcar em uma quantidade muito pequena de líquido. O líquido se torna viscoso, entupindo o que há dentro do vidro. Esta mesma coisa pode acontecer no corpo, particularmente nos vasos sanguíneos, entupindo a circulação, que é como ele causa problemas.

Como tratar o diabetes tipo 2?

Em suma, o diabetes tipo 2 pode ser tratado apenas com dieta, mudanças no estilo de vida (exercício) e, finalmente, com remédios. O objetivo do tratamento é manter o nível de açúcar no sangue em um nível normal ou quase normal por:

  •  perda de peso,
  • comer alimentos saudáveis, especialmente frutas e legumes. Evitar frituras, empanados, alto carboidrato ou alimentos açucarados é essencial,
  • exercício que melhora o seu peso, pressão arterial e capacidade do seu organismo de produzir e responder à insulina. Exercícios regulares ou caminhadas já ajudam, mesmo que você não perca peso, porque o exercício melhora a forma como o seu corpo responde à insulina, que por sua vez leva à redução do açúcar no sangue.

Então, o que acontece se você perder peso, melhorar a dieta, fazer exercícios mas nada disso funcionar?

Esta situação é quando fica complicado até mesmo para o mais experiente dos médicos. Existem várias classes de medicamentos que são usadas para reduzir o açúcar no sangue, melhorar a resposta do seu organismo à insulina ou causar perda de peso para que o seu corpo possa melhorar a capacidade de regular a insulina e glicose. A escolha da droga é baseada nos efeitos secundários e num perfil de saúde individualizado. Esta é a hora em que você tem que estar preparado para fazer, ao seu médico, um monte de perguntas. Aqui está o ABC dos medicamentos para diabetes:

  • 1. Metformina (Glucophage ®, Gumetza ®, Riomet ®, Fortamet ®) é normalmente a primeira droga prescrita à maioria das pessoas recém-diagnosticadas com o tipo 2 da diabetes, uma vez que ajuda o corpo a responder à insulina para reduzir os níveis elevados de açúcar no sangue.  Efeitos colaterais incluem náuseas, diarreia e gases, mas eles não são graves, especialmente se você tomar com alimentos.
  • 2. Insulina pode ser recomendada nos primeiros dois a três meses se os seus níveis de açúcar no sangue se encontram maiores do que a sua meta.
  • 3. Sulfoniluréias (Diabinese ®, Orinase ®, Glucotrol ®, Diabeta ®, Micronase ®, Glynase ®, Amaryl ®) aumentam a quantidade de insulina que o seu corpo produz e pode baixar os níveis de açúcar no sangue em quase 20%, no entanto, param de trabalhar mais tempo. Se você tomar sulfonilureia, você pode desenvolver episódios de baixa de açúcar no sangue, conhecidos como hipoglicemia. Os sintomas da hipoglicemia incluem sudorese, tremores, sensação de fome e ansiedade.
  • 4. Thiazolidione (pioglitazona-Actos ®) é uma alternativa à sulfonilureia para pessoas com alergia a medicamentos à base de sulfa – medicamentos que contêm a estrutura química chamada sulfonamidas – e não têm doença cardíaca ou problemas ósseos. Esta classe de medicamento reduz os níveis de açúcar no sangue, aumentando a sensibilidade do organismo à insulina. Os efeitos secundários comuns destas drogas incluem ganho de peso, edema, aumento do risco de agravamento da insuficiência cardíaca, um risco pequeno, mas aumentado de retenção de líquido na parte de trás dos olhos, um risco aumentado de desenvolver câncer da bexiga e um pequeno risco de fraturas ósseas.
  • 5. Medicamentos agonistas GLP (exenatida-Byetta ®) agonistas GLP são medicamentos injetáveis que promovem a perda de peso para as pessoas que ganham peso em outros medicamentos para diabetes. Os efeitos colaterais incluem náuseas, vômitos e diarreia.
  • 6. Inibidores DPP-IV (sitagliptina-Januvia ®, saxagliptina-Onglyglyza ®, linagliptina-Tradjenta ®)  Reduz a glicemia, aumentando a liberação de insulina pelo pâncreas após as refeições. Eles não causam hipoglicemia ou afetam o peso, não sendo este medicamento injetado, mas engolido como uma pílula.
  • 7. Meglitinides (Repaglinide-Prandin ®, nateglinida-Starlix ®)  trabalha para reduzir os níveis de açúcar no sangue semelhante às sulfonilureias e pode ser recomendado para pessoas que são alérgicas à drogas à base de sulfa.
  • 8. Alfa-glucosidase (inibidores) (Acarbose-Precose ®, miglitol-Glyset ®) impedem a absorção de carboidratos no intestino, o que reduz o nível de açúcar no sangue e pode ser combinado com outros medicamentos, se o primeiro medicamento não diminuir os níveis de açúcar no sangue suficientemente. Os principais efeitos colaterais destes inibidores são diarreia, gases e dor abdominal.
  • 9. Inibidores de co-transportador sódio-glicose 2  (Canaglifozin-Invokana ®) faz com que seus rins eliminem a glicose ou açúcar em sua urina, reduzindo, assim, o nível de açúcar no sangue. No final de março de 2013, o FDA aprovou o primeiro medicamento desta classe, Canagliflozin, que deve ser tomado em conjunto com uma dieta e exercícios para melhorar o controle de açúcar no sangue em adultos com diabetes tipo 2. Este medicamento deve ser evitado pelas pessoas que têm doença renal grave ou se encontram em diálise. Há preocupações sobre os efeitos colaterais graves, incluindo a questão de um aumento do risco de câncer de mama, doença cardíaca, e da bexiga. Outros efeitos secundários incluem levedura vaginal e infecções do trato urinário.

Como você pode ver, há uma série de medicamentos diferentes e complexos para o tratamento da diabetes tipo 2, cada um com seu próprio conjunto de benefícios, riscos e efeitos colaterais. Meu ponto de vista é simples: por que se incomodar tentando resolver com pílulas ou injeções quando o melhor tratamento é a prevenção da diabetes tipo 2, por perda de peso, exercícios físicos e alimentação saudável?

 

Dr. Joseph Sirven é  professor e presidente do Departamento de Neurologia e foi Diretor de Educação da Clínica Mayo do Arizona. Ele é editor-chefe da  epilepsy.com  e tem servido ao governo dos EUA e outras agências globais governamentais, incluindo o Instituto de Medicina, da NASA, FAA, NIH e CDC.

 

http://nbclatino.com/


Similar Posts

Topo