Inversão de horários pode causar diabetes e obesidade

“Compulsão alimentar à noite pode levar à obesidade e diabetes tipo 2.”

Essa advertência é sugerida por um estudo publicado quinta-feira na revista Current Biology Nashville. “Estudamos a sensibilidade à insulina em ratos”, disse Carl Johnson, professor do departamento de ciências biológicas na Universidade de Vanderbilt. “E acontece que os ratos são resistentes à insulina durante o dia, que é o seu período inativo.

” Os pesquisadores da Universidade Vanderbilt estudaram o relógio biológico diário de camundongos e descobriram que os ratos são inativos durante o dia e ativos durante a noite, o que é exatamente o oposto do ciclo humano. “A importância deste estudo é também salientar que muitos destes estudos metabólicos de respostas de insulina em ratos tem sido feito no momento errado”, considerando que os ratos são inativos durante o dia, disse Johnson.

De acordo com o estudo, a taxa de metabolismo em ratos altera durante os seus períodos ativos e passivos. Além disso, quando há resistência à insulina, o risco de diabetes tipo 2 é mais elevado. Insulina é um hormônio que desempenha um papel fundamental na regulação do metabolismo do carboidrato e dos níveis de gordura do corpo. Resistência à insulina, ou “taxas mais baixas de insulina” no organismo podem levar a diabetes tipo 2, em que os níveis elevados de açúcar no sangue pode causar uma variedade de sintomas, incluindo micção freqüente, fraqueza, batimento cardíaco rápido e perda de apetite.

“Em termos de seres humanos, é muito importante ter um relógio biológico ativo e operacional, pois dele depende  a maneira pela qual a comida é metabolizada, podendo provocar ganho de peso ou o desenvolvimento de resistência à insulina”, disse Johnson.

Vários estudos biológicos demonstram a relação entre os hábitos alimentares, obesidade e diabetes. Outros estudos conduzidos pela Universidade da Califórnia e da Universidade da Pensilvânia, mostraram que ratos ganham peso em taxas diferentes quando a mesma quantidade de calorias é oferecida durante diferentes momentos do dia.

Mas o estudo da Vanderbilt sobre a sensibilidade à insulina em ratos fornece um fato mais concreto para compreender o relógio biológico diário. Os pesquisadores interromperam o relógio biológico dos ratos, por sub-exposição ou sobre-exposição à luz deles, quebrando assim os seus ritmos. E descobriram que, em ambos os casos, ratos ganharam mais gordura e desenvolveram resistência a insulina apresentando sintomas pré-diabéticos.

“Na verdade, é um estudo muito bom”, disse Hossein Ardehali, um professor associado de química farmacologia, medicina e biológica na Escola de Medicina Feinberg, da Universidade Northwestern. “Há estudos que mostram que as pessoas que trabalham no turno noturno têm maiores riscos de diabetes.

” Este estudo, de acordo com Ardehali, claramente tem algumas implicações clínicas. Nossos hormônios são produzidos de acordo com os nossos turnos de trabalho internos e são secretados durante o dia e a interrupção do ritmo circadiano ou diário pode realmente afetar o corpo, disse ele. “Com este estudo, as pessoas podem se tornar mais conscientes”, disse Johnson, “com o que comer e quando comer.

Então, ter a principal refeição ao meio-dia é uma opção muito mais saudável. ” Os pesquisadores também disseram que acreditam que este estudo pode ajudar às pessoas que trabalham em turnos diferentes para serem mais conscientes e cuidadosos sobre seus hábitos alimentares.”

Mas Johnson disse que os pesquisadores precisam de uma maior certeza de quão bem esses resultados podem ser aproveitados para os seres humanos, que serão pesquisados em seguida.

 

http://news.medill.northwestern.edu/


Similar Posts

Topo