Tratamento de diabetes será aprimorado no Pará

Termo de cooperação entre Sespa e SBD capacitará profissionais da saúde.
Pará tem 184.859 pessoas com diabetes, 80% são atendidas no SUS

O diabetes é um problema de saúde pública que atinge 12 milhões de pessoas em todo o mundo. Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), no Pará existem 184.859 pessoas com diabetes e a estimativa é que 80% delas (147.831) são atendidas no Sistema Único de Saúde (SUS). Para aprimorar o tratamento da diabetes no estado, a Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa) e a Sociedade Brasileira de Diabetes (SBD) assinam no próximo dia 3 de setembro um termo de cooperação técnico-científica.

O termo prevê atividades conjuntas de formação de recursos humanos, educação permanente, aprimoramento profissional e cooperação científica e tecnológica para o desenvolvimento da atenção ao diabetes. O termo tem também a finalidade de saber como está a situação da distribuição de insumos e medicamentos para os pacientes do Estado e quais as dificuldades e prioridades no atendimento aos pacientes diabéticos, principalmente na Rede Básica de Saúde.

A proposta foi apresentada pelo presidente da SBD, Balduíno Tschiedel, ao secretário de Estado de Saúde Pública, Helio Franco, que agendou a data para assinatura do documento. O Pará é o quinto Estado visitado, depois de Ceará, Bahia, Goiás e Brasília. Segundo Balduíno Tschiedel, a SBD quer contribuir para que haja homogeneidade no atendimento em todo o Brasil, por isso a proposta está sendo levada a todas as secretarias estaduais de Saúde.

 

Capacitação
Uma preocupação da SBD é com a prescrição da insulina e medicamentos específicos. Mais de 70% dos pacientes com diabetes tipo 2 não precisam de insulina, da mesma forma que os pacientes com diabetes tipo 1, daí a necessidade de haver capacitação dos médicos da rede básica, no sentido de melhorar a assistência ao diabético e reduzir os encaminhamentos para especialistas.

As capacitações serão conduzidas por equipes de médicos endocrinologistas, enfermeiros e nutricionistas, e para facilitar a participação dos médicos, serão feitas nas regiões de saúde.

 

http://g1.globo.com


Similar Posts

Topo