Substituição de bebidas gaseificadas por água pode reduzir significativamente o risco de diabetes

Hábitos de consumo de cerca de 83.000 mulheres foram estudados por mais de 10 anos por pesquisadores liderados pelo Dr. Frank Hu. Eles também estudaram os dados um estudo de Enfermeiros, que acompanhou a saúde e estilo de vida de dezenas de milhares de mulheres em todos os EUA

As mulheres foram convidadas a responder a perguntas relativas ao seu estilo de vida, incluindo a sua dieta e saúde em um período de 12 anos. Ao longo do tempo, cerca de 2.700 dos participantes desenvolveram diabetes.

Aparentemente, a análise dos dados mostrou que não havia muita diferença entre os participantes com o hábito de beber água potável. Os participantes que bebiam 6 copos de água todos os dias estavam no mesmo risco de diabetes daqueles que bebiam menos de um copo de água por dia.

Mas aqueles que consumiram bebidas adocicadas se encontravam em maior risco de diabetes – cerca de 10 por cento maior para cada copo consumido todos os dias.

O estudo diz que, se apenas uma única xícara da bebida adoçada é substituída por uma xícara normal de água, o risco de diabetes deve cair em cerca de 8 por cento.

“A realidade é que sucos de frutas contêm a mesma quantidade de calorias e açúcar dos refrigerantes”, disse Hu ao Globo Online.

Devido à prevalência de diabates como uma doença do estilo de vida na nossa sociedade, uma redução de 7 a 8 por cento deste risco de contrair, é bastante significativa, de acordo com Hu.

A pesquisa, publicada no American Journal of Clinical Nutrition, também sugere que o café sem açúcar ou chá pode ser usado como uma alternativa a estas bebidas adoçadas. Esta atitude reduz o risco de diabetes em cerca de 12 a 17 por cento por xícara.

De acordo com Hu, a água pura, que é livre de calorias, é a melhor bebida que temos. “Adicionar um sabor a água é muito simples, você pode espremer um limão ou lima adicionando algumas gotas”, acrescenta.

“Não é, essencialmente, que a água ajuda, exceto pela hidratação, mas as outras bebidas é que prejudicam,” diz o Dr. Barry Popkin, professor da University of North Carolina School of Public Health que não estava envolvido no estudo.

Foto: Flickr woodleywonderworks /

 


Similar Posts

Topo