Diabéticos de meia-idade devem realizar exames preventivos mais cedo – Colonoscopia

Pesquisadores que disseram ter vinculado diabetes tipo 2 com início do desenvolvimento de lesões pré-cancerosas no cólon recomendam que as pessoas portadoras de diabetes façam exames colorretais em uma idade mais jovem do que outros.

“Com base em nossos dados, isso implica que as pessoas com diabetes devem realizar exames antes, possivelmente aos 40 anos em vez de aos 50 anos”, disse a Dra. Hongha Vu, especialista em gastroenterologia clínica da Universidade Washington em St. Louis.

No entanto, outro especialista disse que mais pesquisas são necessárias antes de fazer essa recomendação. Além disso, os pesquisadores alertaram que eles não podem dizer com certeza que o diabetes por si só, aumenta o risco das lesões pré-cancerosas. Outros estudos são necessários.

Os peritos sabem que o diabetes está associado a um risco aumentado de câncer de cólon e outros tipos de câncer. A equipe de Vu também tenta estabelecer se pessoas com diabetes desenvolvem lesões pré-cancerosas, também chamadas de pólipos ou adenomas, mais cedo do que pessoas sem diabetes.

Os pesquisadores compararam a incidência de pólipos em três grupos de pacientes: aqueles entre 40-49 anos com e sem diabetes e aqueles entre 50-59 sem diabetes. Cada grupo tinha 125 pessoas.

Todos realizaram uma colonoscopia entre junho de 2005 e junho de 2011. Em uma colonoscopia, o médico examina o intestino grosso com um tubo longo e fino que tem uma câmara na extremidade. Quaisquer pólipos são removidos para que eles não possam progredir para um câncer.

Os homens e mulheres mais jovens com diabetes tiveram uma taxa de pólipos semelhante aos idosos sem diabetes, ela encontrou.

“Descobrimos que entre os três grupos, a taxa de detecção de adenomas nas pessoas de 40-49 sem diabetes foi de 14,4 por cento, enquanto foi significativamente maior em pacientes com diabetes na mesma faixa etária – em 30,4 por cento”, disse ela. “Esta é uma taxa semelhante a aqueles  que estão entre 50-59 anos sem diabetes.”  Pessoas na faixa etária entre 50 e 59 anos tiveram uma taxa de 32 por cento, segundo o estudo.

Vu levou em consideração outros factores de risco, como obesidade, raça e tabagismo, e ainda descobriu que aqueles que estão na faixa dos 40 anos com diabetes tiveram uma maior taxa de pólipos.

Ela deverá apresentar suas conclusões terça-feira na Semana de Doenças Digestivas, em San Diego.

Mais de 25 milhões de pessoas nos Estados Unidos têm diabetes, de acordo com os Centros dos EUA para Controle e Prevenção de Doenças. A maioria tem diabetes tipo 2, em que o corpo não produz adequadamente insulina, um hormônio necessário para converter alimentos em energia. Como os casos de diabetes são esperados para aumentar nas próximas décadas, em parte impulsionada pela epidemia de obesidade, os pesquisadores acreditam que as descobertas têm importantes implicações na saúde pública.

Sem seguro privado de saúde, uma colonoscopia no Brasil custa cerca de R$ 500 ou mais.

Dr. João Petrini, ex-presidente da Sociedade Americana de Endoscopia Gastrointestinal, disse que os resultados são intrigantes, mas precisam ser confirmados em estudos maiores.

“Existe algo sobre aquele pequeno grupo?” , perguntou ele. Somente estudos futuros poderão responder a isso, disse Petrini, também gastroenterologista na Sansum Clinic, Santa Barbara, na Califórnia

A Associação Americana de Diabetes se recusou a comentar o estudo. Atualmente, suas próprias pesquisas indicam que o diabetes (possivelmente tipo 2) está relacionado a um maior risco de câncer colorretal e outros. É aconselhado a aqueles com diabetes se submeter a exames apropriados e reduzir seus fatores ​​de risco para câncer [obesidade, tabagismo, inatividade física].”

Em 2008, o American College of Gastroenterology atualizou suas diretrizes para o rastreamento do câncer colorretal, e agora dizem que atualmente sugerem aos médicos a recomendação de exames mais cedo do que 50 anos de idade, talvez 45 anos, aos pacientes que têm “uma história de tabagismo ou obesidade extrema.” Muitos pacientes com diabetes também são obesos.

A Semana de Doenças Digestivas é patrocinada por quatro sociedades: Associação Americana para o Estudo do Fígado; Associação Americana de Gastroenterologia; American Society for Gastrointestinal Endoscopy, e Sociedade de Cirurgia do aparelho digestivo.

Como esta pesquisa foi apresentado em um congresso médico, os dados e conclusões devem ser vistos como preliminares até ser publicado em um jornal da área científica.

 


FONTES: Hongha T. Vu, MD, gastroenterologia do companheiro, Washington University, St. Louis, João Petrini, MD, gastroenterologista, Sansum Clinic, Santa Barbara, Ca, e ex-presidente da Sociedade Americana de Endoscopia Gastrointestinal; apresentação, a Semana de Doenças Digestivas. , 22 de maio de 2012, San Diego, Califórnia

Similar Posts

Topo