Complicações relacionadas à gravidez aumentam o risco de AVC

As mulheres que experimentam complicações relacionadas à gravidez, diabetes gestacional e pré-eclâmpsia em particular, são mais propensas a desenvolver doença cardiovascular mais tarde na vida, de acordo com resultados de pesquisa.

No estudo prospectivo da  Avon Longitudinal Study of Parents and Children (ALSPAC), os pesquisadores estudaram as associações de diabetes gestacional , pré-eclampsia, parto prematuro e tamanho para a idade gestacional calculada com risco de AVC de 10 anos e fatores de risco medidos 18 anos após a gravidez em 3.416 mulheres em Avon, Reino Unido.

“Queríamos saber sobre possíveis explicações a respeito do porquê as mulheres com complicações na gravidez tendem a ter doença cardíaca mais tarde na vida”, a pesquisadora Abigail Fraser, PhD, MPH, da Escola de Medicina Social e Comunitária da Universidade de Bristol, Reino Unido, disse em um comunicado de imprensa.

Das mulheres incluídas nas análises, 29,8% experimentaram uma complicação relacionada com a gravidez , 5,2% apresentaram duas e 0,8% tiveram três, incluindo diabetes gestacional, pré-eclampsia, parto prematuro e bebês que eram grandes ou pequenos para a idade gestacional ao nascimento.

De acordo com dados do estudo, diabetes gestacional e pré-eclâmpsia levantaram o risco para AVC em 26% e 31%, respectivamente. Os pesquisadores descobriram que a diabetes gestacional teve uma associação positiva com a glicemia de jejum e de insulina, enquanto a pré-eclâmpsia esteve associada com maior IMC, circunferência da cintura, pressão arterial, lipídios e insulina.

Os resultados do estudo mostraram que as mulheres com grandes bebês para a idade gestacional tiveram maior circunferência da cintura e maiores concentrações de glicose no sangue contra as mulheres com bebês de apropriado tamanho para a idade gestacional. Mulheres com bebês pequenos para a idade gestacional e parto prematuro tiveram pressão arterial mais elevados.

“A gravidez pode proporcionar uma oportunidade para identificar mulheres com risco aumentado de doença cardíaca, enquanto elas são relativamente jovens, portanto, seria útil para os profissionais médicos obter informações sobre complicações na gravidez para que eles possam recomendar mudanças no estilo de vida e de qualquer intervenção médica necessária mais cedo”, Fraser disse.”Uma mulher que sofre complicações durante a gravidez deve ser proativa e pedir ao seu médico medidas que deve tomar para modificar seu risco de ter um AVC no futuro. ”

Os pesquisadores não declararam conflitos de interesse.

 

O Twitter Siga EndocrineToday.com no Twitter.

Similar Posts

Topo