Paula Toller

Filha de um diabético tipo 1, a vocalista do Kid Abelha, Paula Toller, achou que já não corria mais risco de ter a doença quando foi diagnosticada, aos 47 anos. O jeito foi seguir os conselhos do amigo Dado Villa-Lobos, já veterano de diabetes.

No momento em que estava se dedicando a carreira solo, em 2009, a cantora foi ao dermatologista e descobriu, por acaso, a doença.

“Estava magra demais e o médico desconfiou. Foi um baque, mas agora já estou me adaptando, embora tenha que seguir uma rotina de alimentação e exercícios rígida, usar insulina”, contou Paula.

Biografia

Paula foi criada pelos avós paternos Paulo e Renée, ele cirurgião aposentado, ex-assessor da presidência da República e do governo do Estado da Guanabara, historiador e autor de vários livros; ela dona de casa e gerente de uma pensão de senhoras idosas. O pai de Paula também morava com eles, já a mãe abandonou-a quando ainda era criança.

PaulaTollerNo tempo de infância e adolescência, as músicas de BachMozartBeethovenChopin entre outros clássicos, predominavam em sua casa. Havia também discos de música espanhola e algumas óperas. De popular, Carmem MirandaElis Regina eBeatles (único rock aceito por seu avô). Paula completava os estudos com aulas de balé e inglês e tinha intenção de tornar-se professora desse idioma.

Aos dezessete anos entrou para os cursos de Desenho Industrial e Comunicação Visual da PUC do Rio de Janeiro e também iniciou estudos de francês. Fez estágio num escritório de programação visual e arranjava “freelances” para complementar sua pequena mesada. Traduzia livros e teses para o pessoal da faculdade, ficava na secretaria de sua academia de dança durante as férias e revisava os livros do avô. No quarto de seu irmão, ouviu pela primeira vez James Brown e Tim Maia.

Os primeiros discos que comprou eram de trilha de telenovela (em que havia Stevie WonderMarcos VallePaulo Sérgio ValleJackson Five.)

Depois disso, Janis Joplin e Rita Lee na veia. Nas festinhas (se chamavam “Arrastas”) rolava SladeLed ZeppelinPink FloydBilly PaulMichael Jackson e Stylistics (as lentas). Já na faculdade, tornou-se viciada em rádio.

Cquote1.svg Eu estava em meu quarto. Na sala de visitas, meu namorado e meus avós assistiam TV. Ouvi um som legal e corri para ver o que era. Era a Gang 90 e as Absurdettes cantando “Perdidos na Selva” num festival da Rede Globo. Ninguém percebeu, mas, naquele momento, minha vida mudara completamente e tive certeza de que cantaria aquele tipo de música Cquote2.svg

— 

Em 1982 já cantava e compunha no Kid Abelha, abandonando a universidade em 1984, às vésperas de se formar. Nesse mesmo ano iniciou o aprendizado de técnica vocal com a professora e cantora lírica Vera Maria do Canto e Mello e gostava de cantar Lieder (músicas) em alemão, o que despertou seu interesse pelo idioma, que estuda até hoje.

No dia-a-dia, para manter a forma física e mental, Paula faz ginástica, psicanálise e joga tênis. Trata preventivamente da saúde com medicina ortomolecular e terapias orientais (shiatsu e acupuntura). Procura manter uma alimentação saudável sem recorrer a dietas. Não toma refrigerante há mais de dez anos, não usa açúcar no dia a dia e evita enlatados. Um de seus passatempos prediletos é passear sozinha de carro ouvindo música em alto volume. Dessa maneira surgem e já surgiram várias letras de música, que ela tenta escrever enquanto dirige. O banho também é uma das suas situações preferidas para ter idéias.

Desde 1987, é casada com o cineasta Lui Farias e tem um filho chamado Gabriel. Em 2009 descobriu por acaso ter diabetes tipo 1 e em entrevista confessou ter tido um choque, mas que agora, com controle, tudo está bem.[1]

Leoni

Nascido no Rio de Janeiro em 8 de abril de 1961. Depois de se separar de Paula Toller, em 1986, Leoni saiu do Kid Abelha e formou a banda Heróis da ResistênciaAndré Midani, presidente da Warner na época, apostou que Leoni seguiria sua trajetória de hitmaker. Mas não foi o que aconteceu, a princípio. A Heróis da Resistência durou de 1986 a 1993. Então, nesse mesmo ano, Leoni se lançou em carreira solo. Apenas recentemente, após o lançamento e sucesso de seu CD/DVD Acústico, Leoni voltou a ser reconhecido como um dos maiores representantes do pop rock nacional. [carece de fontes]

O livro Brock: o Rock Brasileiro dos Anos 80, de Arthur Dapieve não cita um relacionamento amoroso entre Paula e Leoni, porém descreve que à época da saída do músico do Kid Abelha, Paula já estava envolvida com Herbert Viana e Leoni com a modelo Fabiana Kherlakian.

Herbert Vianna

Depois de se separar de Leoni, Paula casou-se com Herbert Vianna, vocalista do Os Paralamas do Sucesso. O relacionamento durou pouco e teve um final meio confuso. Paula e Herbert ficaram dez anos sem compor juntos. Somente retornaram a parceria no disco Meu Mundo Gira em Torno de Você de 1997, onde dividiram a música A Moto. Em seu segundo disco solo, Santorini Blues, Herbert, Paula e George assinaram a música A Palavra Certa.

Lui Farias

Paula é atualmente casada com o cineasta Lui Farias [fizeram 22 anos de casados dia 2 de julho de 2010], que dirigiu diversos clipes do Kid Abelha e compôs ainda com George e Paula, como CombinaçãoLa NouveautéGrand Hotel e No seu lugar, além da direção do DVD solo “Nosso”

Gabriel

Paula tem um filho chamado Gabriel e a ele foi dedicada a música chamada Oito Anos, gravada no disco Paula Toller (e regravado por Adriana Calcanhoto no disco Adriana Partimpim), e a música “Barcelona 16”, de SoNós. Gabriel está hoje com 21 anos. É ex-estudante da Escola Britânica do Rio de Janeiro.

Kid Abelha

Sua carreira musical começou como vocalista do então chamado Kid Abelha e os Abóboras Selvagens, banda na qual está até hoje, apesar da carreira solo. O primeiro compacto da banda, Pintura íntima, foi lançado em 1983. No começo, a crítica chegou a pensar que o Kid Abelha não passava de mais uma dessas bandas que não teriam mais do que três sucessos nas rádios. Mas o tempo provou a qualidade e o sucesso do Kid Abelha, que depois de 27 anos, ainda lota shows e vende discos numa carreira marcada por muito mais pontos altos do que baixos. Entre os seus muitos grandes sucessos estão FixaçãoComo eu queroAlice não me escreva aquela carta de amorNo seu lugarEu tive um sonhoTe amo pra sempreEu só penso em vocêEu contra noiteLágrimas e chuvaNada sei, “No meio da rua”, “Amanhã é 23” e “Grand’ Hotel”.

Ousadia

Sexualidade e erotismo são temas abordados em algumas letras de Paula Toller. Às vezes, são cantados de forma mais explícita como em Um Segundo a MaisPor uma Noite InteiraEutransoelatransaPoligamia e Derretendo Satélites – esta do seu primeiro disco solo. Outras vezes estes temas aparecem também mais disfarçados ou em forma de metáfora ou leves citações, como nas músicas Pintura íntimaAgora SeiNo seu lugar, entre outras. Apesar das letras ousadas, nos shows Paula prefere uma postura mais distante, sem grandes apelos.

 

Fonte: Wikipédia


Similar Posts

Topo